Clique e assine a partir de 9,90/mês

“Alfa”: na Era do Gelo, o primeiro encontro entre um menino e seu cão

Filme é a principal estreia da semana e retrata a realidade de 200 mil anos atrás

Por Isabela Boscov, Da Redação - Atualizado em 10 set 2018, 14h20 - Publicado em 6 set 2018, 18h46

Há quem prefira os gatos, mas tenho para mim que esse é mais um encontro de mentes – ou de personalidades – do que uma relação verdadeiramente atávica, como a que existe entre os homens e os cães. Essa é a ideia de Alfa: imaginar como teria se desenvolvido essa amizade inter-espécies tão especial. O garoto Keda sofre um acidente na sua primeira caçada ao bisonte, na Europa de 20 000 anos atrás, e é dado como morto.

Ao recobrar os sentidos, começa sua longa volta para casa, na companhia de início ameaçadora, e depois cada vez mais plena, de Alfa, um lobo ferido do qual cuidou. Kodi Smit McPhee, que interpreta Keda, teve de cultivar um relacionamento de fato com Chuck, o híbrido de lobo e cão que é seu companheiro de cena. As locações na Islândia, no Canadá e na Califórnia são deslumbrantes, e a intervenção da computação gráfica aprofunda a sensação de um planeta que ainda não começou a ser moldado pela presença humana – para o que contribui também o formato esticado de 65 mm, ideal para vistas amplas.

Os diálogos soam falsos, e poderiam ter sido dispensados – mas Chuck/Alfa é irresistível, e saí não só encantada com ele e com o visual, mas também com uma senhora inveja de Kodi/Keda.

 

Publicidade