Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Boulos terceirizou o estupro do direito de propriedade

O candidato a presidente do PSOL agora só chefia invasões de luxo, como a ocorrida no triplex de Lula

access_time 2 maio 2018, 15h56

Guilherme Boulos é o único sem-teto do mundo que nunca dormiu na rua nem passou uma única noite nos imóveis que expropria: o general deixa por lá os soldados rasos e vai desfrutar do conforto das casas que ganhou da família.

As chamas que derrubaram o prédio de 24 andares iluminaram outra malandragem do candidato a presidente da República pelo PSOL: agora ele só mobiliza a entidade para ataques a alvos cinco estrelas. O triplex de Lula no Guarujá, por exemplo.

Uma invasão irrelevante, como a ocorrida no prédio que desabou, ficam por conta de siglas do grupo B, caso do Movimento de Luta Social por Moradia, ou MLSM. O mais conhecido gigolô de moradores de rua terceirizou o estupro do direito de propriedade.

Veja também
Notícias sobre
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Cicero Cândido da Silva

    Pais de frouxos, em qualquer outro pais do mundo esse sujeito já estava condenado e preso a muitos anos de cadeia

    Curtir

  2. Daniel Silva

    País de frouxos, em qualquer outro pais do mundo esse pseudo jornalista, caluniador e mentiroso, já estaria condenado e preso a muitos anos de cadeia.

    Curtir