Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

A USP não reservou um só centavo para cuidar do Museu do Ipiranga

O reitor prefere desperdiçar dinheiro no curso que transforma Dilma em vítima de um golpe - Acompanhe em ' 1 Minuto com Augusto Nunes'

Por Da Redação Atualizado em 13 mar 2018, 18h48 - Publicado em 13 mar 2018, 18h35

Sabe-se lá por quê, o Museu do Ipiranga, construído no local da Proclamação da Independência, está sob a guarda da Universidade de São Paulo.

Apesar disso, ou por isso mesmo, permanece fechado desde 2013, para evitar que o teto desabe sobre a cabeça de algum visitante. Não há prazo para a reabertura do museu e, embora sobrem arquitetos no corpo docente, não existe um projeto os reparos exigidos pelo prédio.  “Falta verba”, recita o reitor, que acaba de investir o dinheiro dos pagadores de impostos no curso que ensina que ensina que impeachment é golpe e que o Brasil deixou de ser uma democracia em 2016.

Faz tempo que a universidade anda formando idiotas. Agora é dirigida por eles.

  • Publicidade