Clique e assine a partir de 8,90/mês

WikiLeaks diz que Google vazou e-mails de sua equipe

Segundo advogado da organização, gigante da internet demorou mais de dois anos e meio para comunicar envio ao FBI de mensagens pessoais de dirigentes

Por Da Redação - 26 jan 2015, 21h14

Em comunicado enviado nesta segunda-feira, o WikiLeaks acusa o Google de ter repassado mensagens eletrônicas pessoais de três dirigentes da sua equipe ao o FBI, a polícia federal dos Estados Unidos, e exige que a gigante da internet se pronuncie publicamente sobre o ocorrido.

Segundo o advogado do Wikileaks, Carey Shenkan, o Google demorou mais de dois anos e meio para avisar que forneceu os dados às autoridades americanas. O repasse teria ocorrido em 5 de abril de 2012 a pedido de um juiz federal, e a companhia teria notificado o WikiLeaks somente em 23 de dezembro de 2014.

Leia também:

Assange aproveita palanque e questiona soberania do Brasil

Por que o Wikileaks não gostou do filme ‘O Quinto Poder’

Para Shenkan, a demora no comunicado impediu que os jornalistas investigados – Joseph Farrell, Kristinn Hranfsson e Sarah Harrison – se defendessem da violação dos seus direitos de privacidade. A organização, informa o comunicado, está “atônita” com a situação.

O Google ainda não se manifestou sobre o caso. Já as autoridades dos EUA nunca esconderam que investigam a organização que, desde 2010, já tornou públicos mais de 250.000 telegramas da diplomacia americana e 500.000 relatórios militares considerados secretos.

Continua após a publicidade
Publicidade