Clique e assine a partir de 8,90/mês

Vendas pela internet devem crescer 25% no Natal

Varejo on-line deve faturar 3,25 bilhões de reais com compras de fim de ano

Por Da Redação - 16 nov 2012, 18h36

O varejo on-line no Brasil deve faturar 3,25 bilhões de reais com as vendas de Natal, o que representa uma alta de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento feito pela e-bit – consultoria especializada em informações sobre o comércio eletrônico. O montante corresponde a 15% da previsão para o ano todo, que é de 22,5 bilhões de reais. “O Natal é, sem sombra de dúvidas, a data mais importante para o e-commerce”, destaca Cris Rother, diretora de negócios da e-bit.

Leia também:

E-commerce brasileiro procura profissionais. E não acha

Americanas.com e Submarino entrarão no varejo de moda em 2013

Segundo a especialista, os lojistas já começaram a se preparar para atender a grande demanda dessa época, reforçando sistemas de processamento de pedidos e logística e atendimento, além de investir em treinamento profissional e contratação de equipes temporárias. “Devemos ter um excelente Natal neste ano, tanto em faturamento quanto na melhoria dos indicadores de satisfação”, afirma o diretor geral da e-bit, Pedro Guasti.

A pesquisa da companhia aponta para uma melhora nos serviços em função dessa preparação. A parcerla de consumidores que denunciaram atraso na entrega de produtos comprados pela internet em outubro foi de 12%, redução de três pontos percentuais em relação ao mesmo mês de 2011.

Um levantamento do Buscapé, maior site de comparação de preços da América Latina, mostra que os produtos mais procurados devem ser os smartphones. O serviço aponta que a variação de preços entre os estabelecimentos pode chegar a 187,15%. “Nessa época, tudo tende a ficar mais caro devido à grande procura, por isso é necessário pesquisar muito antes da compra”, recomenda o vice-presidente de Comparação de Preços do Buscapé Company, Rodrigo Borer.

Além de smartphones, aparecem também na preferência dos consumidores TVs de LED, tablets e consoles de videogame. A categoria “Moda & Acessórios”, que se consolidou no decorrer do ano como uma das mais populares, continua em alta e os artigos mais buscados devem ser os tênis.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade