Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Uber demite 20 funcionários após investigação sobre assédio

Escritório investiga 215 queixas de assédio registradas desde 2012

Por Da redação - Atualizado em 6 jun 2017, 19h59 - Publicado em 6 jun 2017, 19h01

O aplicativo de transporte compartilhado Uber informou seus funcionários que demitiu 20 pessoas após uma investigação interna sobre assédio e alegações relacionadas, segundo a agência Reuters. A investigação é conduzida pelo escritório de advocacia Perkins Cole, que analisou 215 queixas de assédio registradas desde 2012.

Segundo o Uber, a companhia tomou medidas em 58 casos. Em outros 100, a empresa decidiu que não seria necessária nenhuma ação. Outras investigações estão em andamento.

A companhia informou que aumentará a unidade de relações com funcionários a fim de investigar melhor denúncias, e que iria aumentar drasticamente o treinamento de gerentes, os quais na maioria são chefes pela primeira vez.

O Uber ainda não se posicionou sobre o tema.

Publicidade

(Com Reuters)

Publicidade