Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Twitter aceita oferta de Elon Musk pela plataforma

Acordo envolve o desembolso de cerca de 44 milhões de dólares; bilionário diz que quer tornar o microblog 'melhor do que nunca'

Por Alessandro Giannini Atualizado em 25 abr 2022, 18h28 - Publicado em 25 abr 2022, 16h12

Aconteceu. O Twitter aceitou a oferta de Elon Musk pela plataforma, um acordo que envolve o desembolso de cerca de 44 bilhões de dólares. O negócio coloca o presidente da Tesla no comando da empresa, que conta com 217 milhões de usuários e um poder de influência considerável no mundo das redes sociais. A negociação, que começou no fim de semana, tinha apenas um entrave: garantias de que Musk honraria o contrato. Parece que tudo ficou resolvido.

Musk comprará o Twitter, por um valor equivalente a 54,20 dólares por ação, com um ganho de 38% sobre o preço delas neste mês, antes de ele revelar que era o maior acionista da empresa. Um de seus objetivos principais é tornar a empresa privada, para que possa fazer as mudanças que quer longe do escrutínio de investidores, reguladores e outros.

Mudanças na moderação dos conteúdos, implantação de botão de edição e outras medidas estão entre algumas das propostas ventiladas por Musk recentemente para a plataforma. “A liberdade de expressão é a base de uma democracia em funcionamento, e o Twitter é a praça da cidade digital onde são debatidos assuntos vitais para o futuro da humanidade”, disse ele em comunicado anunciando o acordo.

Mais cedo, Musk havia tuitado uma mensagem que indicava a realização do acordo:  “Espero que até meus piores críticos permaneçam no Twitter, porque é isso que significa liberdade de expressão”. A mensagem é um indício de que o bilionário deve criar condições para que figuras como o ex-presidente americano Donald Trump, banido por usar a rede para espalhar desinformação e insuflar tumultos como a invasão do Capitólio, em 6 de janeiro, voltem a ganhar espaço em seus ambientes virtuais. Em razão de usuários como Trump, a empresa foi forçada a criar políticas para lidar com situações inesperadas.

Bret Taylor, presidente do Twitter, emitiu um comunicado no qual disse que o conselho da empresa “conduziu um processo cuidadoso e abrangente para avaliar a proposta de Elon com foco deliberado em valor, certeza e financiamento. A transação proposta proporcionará um prêmio substancial em dinheiro e acreditamos que é o melhor caminho a seguir para os acionistas do Twitter”.

Com 83 milhões de seguidores, Musk se lançou, recentemente, em uma cruzada pela liberdade de expressão. Com as mudanças, ele espera dar aos usuários mais controle sobre o que publicam e sobre o quem passa pelas suas linhas do tempo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)