Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Rede social de Trump tenta mais uma jogada para fugir do fracasso

Truth Social será lançada em formato que permite acesso à plataforma, independentemente do dispositivo do usuário

Por Alessandro Giannini Atualizado em 2 Maio 2022, 19h07 - Publicado em 2 Maio 2022, 16h48

Lançada em fevereiro, a Truth Social não decolou como se esperava. No início de abril, a rede social do ex-presidente americano Donald Trump registrava 1,2 milhão de downloads. Criada para driblar protocolos contra discursos de ódio e incitação à violência das grandes empresas de tecnologia, a plataforma teve um pico de popularidade nos primeiros quatro dias em que foi colocada à disposição do público. Logo depois disso, a taxa de downloads diários caiu para menos de 100 mil. Para tentar reverter esse cenário, a empresa vai lançar o aplicativo em formato pwa, sigla de progressive web aplication, nome dado a um site desenvolvido para parecer e se comportar como um aplicativo, independentemente da plataforma em que é utilizado.

A Truth Social será lançada no novo formato no fim de maio, disse o presidente-executivo, Devin Nunes, nesta segunda-feira, 2. Em um post na plataforma, Nunes também disse que o aplicativo ainda não foi aprovado pela Google para dispositivos Android. “No fim de maio lançaremos o pwa que permitirá o acesso de qualquer dispositivo”, escreveu Nunes. “Depois disso, lançaremos um aplicativo Android, que está aguardando aprovação do Google!” A disponibilidade nas lojas Google Play e Apple é fundamental para a capacidade de expansão do aplicativo. A empresa controladora da Truth Social, Trump Media & Technology Group (TMTG), foi lançada com a missão de enfrentar as grandes empresas de tecnologia.

Trump voltou a postar no site na quinta-feira. Sua última “verdade” – como as publicações são chamadas na plataforma – datava de 14 de fevereiro. A Truth Social foi uma forma de passar ao largo da resistência imposta por Twitter, Facebook e YouTube, que expulsou Trump de suas plataformas por supostamente incitar ou festejar a violência durante a invasão ao Capitólio, em 6 de janeiro, nos Estados Unidos. O Gettr, lançado por Jason Miller, ex-assessor de Trump, possui cerca de 4 milhões de usuários registrados, enquanto o Parler, o mais velho entre os clones conservadores e de direita do Twitter, diz ter cerca de 16 milhões de usuários registrados.


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês