Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Para investigar crimes, governo americano teria acesso a dados privados de usuários do Facebook

Segundo levantamento da agência Reuters, ação é autorizada por juízes federais sem conhecimento de titulares das contas

Autoridades americanas estão obtendo permissão para acessar informações de usuários da rede social Facebook, de acordo análise feita a partir da base de dados de Westlaw – que reúne processos judiciais nos Estados Unidos – empreendida pela agência de notícias Reuters. A pesquisa aponta que, desde 2008, juízes federais concederam ao menos duas dúzias de permissões para buscas em contas individuais de frequentadores do site sem o conhecimento dos mesmos.

Muitos dos pedidos registrados solicitavam uma lista de dados pessoais, como mensagens, atualizações, links para vídeos e fotografias, calendários de eventos passados e futuros, publicações do mural e solicitações de amizade rejeitadas. A lista de agências federais que solicitaram as permissões inclui o órgão federal de investigação FBI, a Força Administrativa de Narcóticos e o serviço de imigração e controle de fronteiras. As investigações apuram casos variados, que vão de tentativas de estupro a terrorismo.

A análise dos dados de Westlaw indica que, só neste ano, as instituições federais receberam ao menos onze permissões para buscar dados no Facebook, quase o dobro do total apurado em 2010. É difícil determinar o número exato de permissões concedidas, uma vez que muitos registros são confidenciais.

Em entrevista à Reuters, o vice-presidente de segurança do Facebook, Koe Sullivan, se recusou a divulgar o número de acessos. Ele disse que o Facebook mantém confidencialidade sobre a privacidade de usuários e frequentemente vai contra iniciativas de autoridades com a intenção de buscar dados.

(Com agência Reuters)