Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O desafio do console Wii U, da Nintendo, no Brasil

Gerente da Nintendo of America para América Latina afirma que alta tributação vai encarecer dispositivo no país

O mercado de games no Brasil cresce a todo vapor e as principais produtoras do mundo abrem escritórios no país. Mas o sistema tributário brasileiro não colabora para que os preços dos consoles e jogos sejam compatíveis com os praticados nos Estados Unidos e na Europa. Os impostos que incidem sobre os produtos importados encarecem excessivamente esses itens e impedem o acesso de muita gente aos eletrônicos de última geração. Para trazer ao Brasil o Wii U, que estreia nos mercados americano e europeu em novembro, a Nintendo enfrentará os mesmos obstáculos encontrados anos atrás, quando a companhia japonesa decidiu lançar por aqui o Wii e seu portátil DS. “Como sempre, esse será um grande desafio para nós. As taxas da categoria videogame superam a marca dos 50%”, explica Bill van Zyll, gerente da Nintendo of America para América Latina. De acordo com o executivo, isso não impede, contudo, que a companhia se empenhe para reduzir o intervalo entre o lançamento do console nos Estados Unidos e no Brasil. “O Wii U precisa ser certificado para ser comercializado no país. Estamos trabalhando em todos esses detalhes”, adianta Zyll, sem divulgar uma provável data para a chegada do aparelho às lojas brasileiras. Confira a seguir a entrevista que o americano concedeu a VEJA.com durante sua passagem pelo país, onde participou da feira Brasil Game Show.

As entrevistas da série sobre games:

Aníbal Vera, da Konami, fala do PES 2013

Gilliard Lopes, da Electronic Arts, fala do Fifa 13

Philippe Ducharme, da Ubisoft, fala de Assassin’s Creed III

Kiki Wolfkill, da Microsoft, fala de Halo 4

Por que a Nintendo decidiu trazer uma versão de testes do Wii U para o Brasil? Reconhecemos a importância do país e a forma com o mercado local de videogames continua crescendo na região. Essa é uma boa oportunidade para falar com o público brasileiro. Do lado portátil, temos o Nintendo 3DS XL, que acabou de ser lançado no Brasil, e uma série de ótimos títulos para a plataforma, como Pokemon Black Version 2, além de todos os melhores jogos da série Mario para 3DS, incluindo Mario Kart 7. Os títulos da franquia Mario são sempre muito bem recebidos no país. Tanto o 3DS quanto o 3DS XL estão em português: ficamos muito animados com a ideia de proporcionar essa prévia do Wii U para os jogadores brasileiros. O Wii U é a segunda geração do Wii, um dos consoles mais vendidos em toda a história, com mais de 100 milhões de unidades comercializadas no mundo.

O Wii continua vendendo bem no Brasil? Sim. O Wii continua sendo muito vendido no Brasil e, agora, por um preço bastante acessível. Já o Wii U será muito mais poderoso em termos de hardware. O aparelho terá suporte HD e um de seus acessórios-chave será a segunda tela, que ampliará os horizontes dos desenvolvedores de games, já que permitirá aos jogadores interagir de forma completamente nova com os títulos. Queríamos muito mostrar isso para os brasileiros. Continue lendo a entrevista.

Quando o Wii U será lançado no Brasil? Por ora, estamos trabalhando em muitos detalhes para o lançamento do console em diferentes mercados. Nos Estados Unidos, o Wii U chega às lojas no dia 18 de novembro. Na Europa, no dia 30 de novembro. Já no Japão, o lançamento acontecerá um pouco mais tarde, no mês de dezembro. Um sistema como do Wii U precisa ser certificado e não temos como precisar uma data para a chegada do videogame no Brasil.

Quantos jogos chegarão ao Brasil na ocasião do lançamento local do Wii U? Depende das fabricantes e de quantas distribuidoras decidirem trazer seus títulos para o país. Estamos muito animados com o apoio dessas empresas. Temos um número impressionante de títulos disponíveis para o Wii U no lançamento americano, europeu e asiático. Aproximadamente 50 jogos estarão disponíveis para o novo sistema no primeiro mês. Teremos não só games da série Super Mario, como o New Super Mario Bros. U, mas também títulos de empresas parceiras, como Assassin’s Creed III e Just Dance 4, ambos da Ubisoft. O console terá ainda jogos exclusivos, como o Zumbi U. Outras produtoras como Activision levarão para o sistema games como Call of Duty: Black Ops 2, enquanto a Electronic Arts terá uma versão Wii U de seu jogo de futebol, o Fifa 13, que é muito popular no Brasil.

A Nintendo tem alguma ideia de quanto custará o Wii U no Brasil? Como sempre, esse é um grande desafio para a Nintendo. A categoria videogames no país tem altas taxas de impostos. Estamos falando aqui de índices de 50% para importação. O preço do 3DS XL por aqui é bem superior ao valor praticado nos Estados Unidos. No caso do Wii U, teremos de enfrentar os mesmos problemas tributários. No mercado americano, o novo console terá dois preços: 300 dólares, para o modelo básico, e 350 dólares, para a versão com mais memória. No Brasil, vamos procurar pelas melhores oportunidades para trazer o videogame pelo menor preço possível, embora esse seja um desafio reconhecido pela Nintendo.

Quais serão os próximos passos da Nintendo após o lançamento do Wii U? Continuaremos desenvolvendo bons conteúdos para todas as nossas novas plataformas. O Wii U será lançado no final deste ano e no começo de 2013, dependendo do mercado, e também temos o 3DS XL, que chegou às lojas recentemente.

Durante a E3 deste ano, a Nintendo apresentou ao mercado um protótipo do console. O que mudou no aparelho desde aquela época? A alteração mais evidente nesta versão final do videogame está na ergonomia do game pad, o controle-tablet. Tornamos o uso do controle mais confortável para os usuários. Também é possível perceber que os jogos estão finalizados, já as versões testadas na E3 eram apenas protótipos.