Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novo BMW X2 chega ao mercado com DNA alemão e design jovem

Novidade da montadora europeia, X2 é apresentado como SAC, veículo que combina as qualidades de um SUV e o visual de um cupê

A história da BMW é marcada pela união entre design e desempenho. A montadora alemã – que, antes de começar a produzir carros, em 1920, vendia potentes motores de avião – pode ser considerada um dos símbolos de alta performance no universo automotivo. Não é à toa que a marca é uma das mais valiosas do mundo em seu mercado.

Com o lançamento do X2, que apareceu pela primeira vez como um carro-conceito no Salão do Automóvel de Paris de 2016, a BMW mostra que pretende reforçar seu legado de esportividade.

Além do tradicional

Segundo a BMW, o X2 é um sports activity coupé (SAC). Em um mercado saturado de modelos com outra sigla, SUV, a proposta do SAC é ser um misto entre o utilitário esportivo e o cupê.

O conceito surgiu pela primeira vez com a própria montadora, no lançamento do X6, há dez anos. Porém, ao contrário deste, o X2 chega mais compacto e com design mais extrovertido – ideal para atrair “jovens de alma e coração”.

São duas versões: sDrive20i GP e M Sport X, que vem equipada com o pacote mais arrojado. A divisão “M” – sigla para Motorsports – denota justamente os modelos da marca, cuja proposta esportiva é mais evidente.

Mais ousado e com desempenho esportivo, novo modelo busca atrair “jovens de coração”

Mais ousado e com desempenho esportivo, novo modelo busca atrair “jovens de coração” (BMW/Divulgação)

O design é um dos pontos altos do lançamento. Destaca-se o novo desenho da grade frontal, que, de ponta-cabeça em relação aos outros BMW, já dá uma nova identidade para o X2. Entre as oito cores disponíveis, tons extrovertidos como azul, dourado e laranja são garantia de contraste com a tradicional paleta de cinza, pretos e brancos popular nas ruas brasileiras.

Típico dos cupês, o teto alongado forma um “C” na parte traseira para encontrar a moldura das janelas. O emblema da BMW posicionado nas colunas de trás é uma homenagem aos clássicos cupês dos anos 1960 e 1970. Atrás, sobressaem o spoiler, instalado na parte superior da tampa do porta-malas, e as lanternas em “L”. Os faróis são full-LED e as rodas são calçadas com pneus run flat, capazes de rodar mesmo com algum furo ou avaria, em baixa velocidade, até a chegada a algum local para a realização da troca.

Conforto e tecnologia

Entre os itens de série, comuns às duas versões, figuram controle de estabilidade e de tração, freios a disco ventilados com ABS, sistema de regeneração de energia de frenagem e airbags frontais, laterais e de cortina.

Por dentro, a versão M Sport X é mais recheada com ampla diversidade de equipamentos e tecnologias. Destacam-se bancos esportivos com ajustes elétricos, teto solar elétrico e panorâmico, internet a bordo, volante exclusivo e o Parking Assistant, um sistema de câmeras e sensores que mede os espaços disponíveis para estacionar o carro e realiza o mínimo de manobras possível para executar a tarefa – tudo automaticamente.

Interior vem recheado com aparatos tecnológicos

Interior vem recheado com aparatos tecnológicos (BMW/Divulgação)

Outros destaques são o sistema multimídia com tela de 8,8 polegadas e o head-up display, capaz de projetar na parte inferior do para-brisa (no campo de visão do motorista) informações como velocidade e rotas de navegação. As funções são acessadas por um seletor no console, o iDrive Touch Controller, sensível ao toque e com reconhecimento de sinais e letras.

Debaixo do capô, o motor 2.0 dotado de tecnologia TwinPower Turbo de 192 cv, capaz de chegar à velocidade máxima de 227 quilômetros por hora. O câmbio é o inédito dual-clutch gear, de dupla embreagem, que torna as trocas mais rápidas. Unindo design, tecnologia e potência, o novo modelo faz jus ao legado da montadora.