Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

No Canadá, aplicativo de entregas permite pedidos online de maconha

Uber Eats e varejista de cannabis fazem parceria na província de Ontário, mas consumidores têm que buscar encomenda nas lojas físicas

Por Da Redação Atualizado em 24 nov 2021, 18h40 - Publicado em 24 nov 2021, 18h38

No Canadá, o aplicativo de entregas de refeições Uber Eats fez uma parceria inédita com a Tokyo Smoke, empresa especializada na venda de maconha legalizada. Desde segunda-feira, os consumidores maiores de idade podem fazer pedidos no aplicativo e, em seguida, retirar pessoalmente a compra nas lojas físicas mais próximas da varejista. Por enquanto, o serviço está restrito a Ontário, província no centro-leste do país.

A ideia da parceria no Canadá, segundo as empresas, é criar um processo de pedido simplificado por meio do aplicativo Uber Eats com o serviço de coleta presencial da Tokyo Smoke. “Estamos criando uma nova experiência ponta a ponta para pedidos responsáveis ​​de cannabis em toda a província”, disse em comunicado Lola Kassim, gerente geral da Uber Eats Canadá.

O Uber, que já entrega bebidas alcoólicas por meio de sua unidade Eats nos Estados Unidos, está de olho no crescente mercado de cannabis há algum tempo. A CEO da empresa, Dara Khosrowshahi, declarou à imprensa em abril que vão considerar a distribuição de maconha quando a legislação americana permitir.

O Canadá legalizou uso recreativo da maconha em outubro de 2018. Mesmo assim, o mercado ilegal ainda responde por mais de 40% de todas as vendas de cannabis não medicinal a nível nacional. De acordo com dados da consultoria BDS Analytics, o total faturado no país em 2021 com o negócio foi 4 bilhões de dólares, valor que deve crescer para 6,7 bilhões de dólares até 2026.

Uma pesquisa recente da Public First mostrou que dirigir após o consumo de cannabis continua sendo comum, com 14 porcento dos usuários admitindo ter dirigido um veículo duas horas após o consumo. Segundo as empresas, quando as leis canadenses sobre a maconha evoluírem para incluir a entrega, espera-se que opções como o Uber Eats ajudem a diminuir melhorar a segurança na vias públicas.

Os números do mercado mundial de maconha legalizada variam muito. Mas levantamentos de diversas fontes mostram valores em torno de 20 bilhões de dólares, com previsão de crescimento em torno de 20% nos próximos cinco anos. No Brasil, como em cerca de 30 países, apenas o uso medicinal é permitido.

A principal diferença entre os dois tipos é que os produtos medicinais costumam ter baixa concentração do psicoativo Tetrahidrocanabinol (THC) e mais quantidade de canabidiol (CBD). Já nos produtos de uso recreativo a relação é inversa.

Continua após a publicidade

Publicidade