Clique e assine a partir de 9,90/mês

Nintendo anuncia que fará games para smartphones

Japonesa adquire parte de empresa especialista em jogos para celular e deve lançar primeiro título ainda este ano

Por Da Redação - 17 mar 2015, 13h49

A japonesa Nintendo anunciou hoje que comprará 10% da também nipônica DeNa, dona de uma das mais populares plataformas de jogos para celular no país, a fim de produzir games com seus consagrados personagens para dispositivos móveis. O valor do acordo, segundo comunicado assinado pelas duas empresas, deve ser de US$ 181 milhões.

O informe representa uma grande mudança de postura da Nintendo. A companhia nunca permitiu que suas criações – como Mario, Donkey Kong e Link – figurassem em plataformas que não pertencessem a sua marca e, até então, recusava-se a entrar no mercado de smartphones. “O mundo está mudando. As empresas que não se adaptarem à mudança entrarão em declínio”, disse o presidente da Nintendo, Satoru Iwata.

Leia também:

– Nintendo cancela venda de consoles no Brasil e culpa impostos

– Lista: fãs de games em séries de TV e no cinema

Durante seu pronunciamento, Iwata afirmou que a parceria para criar jogos para smartphone não significa que a Nintendo abandonará o mercado de consoles. Ele ressaltou que a empresa lançará, nos próximos anos, o sucessor do Wii U, concorrente de PlayStation 4 e Xbox One, que está no mercado desde o fim de 2012. Equipamentos móveis voltados só para jogos, a exemplo do Nintendo 3DS, no entanto, parecem estar fora dos planos da companhia.

Segundo Iwata, o primeiro jogo para smartphones deve ser lançado ainda este ano. Os detalhes não foram revelados, mas a especulação é que a Nintendo adote o modelo mais comum da DeNa no Japão: jogos gratuitos em que os usuários pagam certas quantias para ter mais benefícios e itens. No ano passado, a Nintendo registrou o terceiro ano consecutivo de prejuízo, e Iwata, em ato simbólico, reduziu seu salário pela metade. Uma das principais críticas dos analistas era que a empresa não lançava versões mobile para seus jogos de maior sucesso.

(Com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade