Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MercadoLivre estima que serviço vai gerar 45.000 empregos na América Latina em 2012

Cerca de 180.000 empreendedores e funcionários devem obter renda no site

O MercadoLivre apresentou nesta quinta-feira dados de um estudo, feito em parceria com a companhia de pesquisas de mercado Nielsen, que estima que o site de comércio eletrônico vai gerar 45.000 postos de trabalho em toda a América Latina em 2012. Se a previsão se confirmar, o número de pessoas que obtêm renda a partir do serviço deverá chegar a 180.000 – considerando-se proprietários de lojas que usam a plataforma e seus funcionários; não entraram no cálculo pessoas que comercializam bens e serviços esporadicamente.

Atualmente, quase 134.000 pessoas ligadas a lojas obtêm receitas por meio do site. Delas, 46.000 são o que o Mercado Livre chama de Top Sellers – empreendedores que usam o serviço e que, na prática, são os principais vendedores do site. Os 87.000 restantes são chamados de colaboradores – funcionários que trabalham nas lojas.

Segundo o levantamento, 54% dos Top Sellers pretendem contratar mais colaboradores exclusivamente para trabalhar com o MercadoLivre em 2012. O serviço é a principal fonte de renda de 56% dos Top Sellers da América Latina e de 68% dos vendedores do Brasil. Seis de cada dez Top Sellers têm colaboradores. Quase 40% dos colaboradores brasileiros pertencem às famílias dos donos das lojas.

O MercadoLivre não sabe dizer se as 45.000 vagas que devem ser geradas neste ano representarão empregos formais. “Nós incentivamos as melhores práticas e fornecemos informações a respeito de como fazer contratações”, explica Hellison Lemos, diretor geral da empresa no Brasil. Stelleo Tolda, vice-presidente de operações do MercadoLivre, afirma que a companhia pretende crescer no mesmo ritmo de avanço do comércio eletrônico no Brasil: 25% ao ano pelos próximos cinco anos.

O levantamento da Nielsen foi feito on-line com 2.000 pessoas de cinco países: Brasil, Argentina, México, Venezuela e Colômbia.