Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maus resultados do Google podem ter origem na Motorola Mobility e nos anúncios on-line

Analistas ainda tentam compreender desaceleração dos lucros do gigante

Nesta quarta-feira, o Google assustou o mercado americano de ações ao apresentar o resultado do terceiro trimestre deste ano, bem inferior ao esperado pelos analistas do setor. A companhia registrou lucro de 2,18 bilhões de dólares, 20% inferior ao medido no mesmo período de 2011. Pior: o dado foi divulgado por engano horas antes do programado. O mercado reagiu instantaneamente. O valor das ações da companhia na Nasdaq, bolsa do setor de tecnologia, caiu 8%, provocando a interrupção na comercialização dos papéis por mais de quatro horas. O mercado busca agora respostas para o arrefecimento do lucro.

Leia também:

Resultado surpresa do Google choca Wall Street e negócios são suspensos

Apesar de não apontarem causas específicas, os números revelados nesta quinta-feira mostram que a empresa enfrenta problemas originados em decisões tomadas ao longo dos dois últimos anos. A principal delas foi a aquisição da Motorola Mobility, por 12,5 bilhões de dólares, em agosto de 2011. O problema não seria o valor desembolsado na operação em si, mas o mau desempenho da divisão neste ano. No terceiro trimestre, a companhia acumulou prejuízo de cerca de 500 milhões de dólares, ante perda de 41 milhões de dólares registrada no mesmo período de 2011.

De acordo com o Google, o principal motivo para a compra da divisão de dispositivos móveis da Motorola foi a aquisição de patentes que poderiam proteger seus parceiros, usuários do sistema operacional Android, contra processos judiciais. A questão é que as linhas de produção continuaram funcionando, mas sem oferecer dispositivos que pudessem trazer lucros. Em consequência, a Motorola Mobility perdeu mercado para as mesmas companhias que o Google pretendia proteger: Samsung e Amazon.

Outro fator que está sendo observado pelos analistas diz respeito à principal fonte de renda do Google: os anúncios on-line. Nos meses de julho, agosto e setembro, o valor médio pago por anunciantes ao Google por esse serviço caiu 15%. Isso não significa que haja menos anúncios. Ao contrário. O número cresceu 33% no trimestre. O problema de fato foi a queda no valor pago ao gigante de buscas, como a própria empresa reconhece.

A redução reflete a migração dos usuários para as plataformas móveis. Em tablets e smartphones o Google ainda cobra menos por anúncios – mas há cada vez mais usuários utilizando esses dispositivos. São questões a serem esclarecidas nos próximos dias.

Apesar da aparente crise, aumentou no mesmo período o valor pago pelo Google a pessoas e empresas que oferecem os links publicitários do gigante de buscas em suas páginas e blogs. O valor cresceu 27% no trimestre, o que rendeu um total de 2,77 bilhões de dólares pagos a parceiros da companhia.