Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maior site de compra e venda de bitcoins sai do ar em meio a rumores sobre fraude

MtGox deixa de funcionar e documentos que vazaram na web apontam que falha técnica permitiu roubo de 750.000 bitcoins nos últimos anos

O site MtGox, maior site do mundo em volume de compra e venda da moeda virtual Bitcoin, saiu do ar nesta terça-feira. Cerca de 750.000 bitcoins, que valem aproximadamente 900 milhões de reais com base na cotação média da moeda em sites similares, teriam sido roubados do site ao longo dos últimos anos. A crise levou Mark Karpelès, CEO do MtGox, a anunciar sua saída da Bitcoin Foundation, instituição que promove o uso da moeda virtual. O site ainda não informou como vai ressarcir os usuários que negociavam bitcoins por meio do site.

Leia também:

Na onda dos bitcoins

Bitcoins: uma viagem louca ao passado das moedas

Caixa eletrônico de bitcoins falha na estreia da Campus Party

Segundo André Horta, CEO do site brasileiro para compra e venda da moeda virtual Bitcoin4You, uma falha técnica permitiu o roubo de bitcoins no MtGox. “Hackers aproveitaram o descuido do MtGox para realizar saques de bitcoins várias vezes, depois de alterar o registro das transações”, explica Horta. Outros sites atestam a validade das transações por meio de dados, como valor e carteira virtual de origem e destino, para evitar fraudes.

Embora o MtGox estivesse no ar até a madrugada desta terça-feira, os usuários já não conseguiam fazer transações por meio do site desde 7 de fevereiro. Na ocasião, a empresa alegou uma falha técnica e prometeu que tudo voltaria ao normal em breve. Desde então, a “cotação” do bitcoin no MtGox não parou de cair. Nesta terça-feira, de acordo com o site CoinDesk, a moeda virtual valia 130 dólares no MtGox, enquanto o valor chegava, em média, a 532 dólares em sites similares. Em janeiro, um bitcoin chegou a ser negociado por 1.000 dólares no MtGox.

Um grupo de CEOs de outros grandes sites de comércio de bitcoins, como Kraken, BitStamp, Circle, BTC China e Blockchain, afirmaram em uma carta aberta que a direção do MtGox confirmou a falha em conversas privadas. “Em qualquer novo mercado, existem atores ruins que precisam ser eliminados. Estamos confiantes que empresas fortes de Bitcoin continuarão a prosperar e a cumprir a promessa que o bitcoin oferece como o futuro dos pagamentos na era da internet”, escreveram as empresas, na carta.

No documento que vazou na semana passada, planos de o MtGox voltar a funcionar no futuro, sob uma nova marca, eram considerados. A empresa também propõe que a comunidade arrecade dinheiro para ressarcir os usuários do MtGox prejudicados com o roubo dos 750.000 bitcoins. O MtGox é uma empresa baseada no Japão e ganhou relevância em 2010, como um dos sites pioneiros de compra e venda da moeda virtual.

Ao contrário das moedas tradicionais, o bitcoin não está sujeito a regras impostas por um banco central ou um governo. “Não podemos fazer nada”, disse a Agência de Serviços Financeiras do Japão, que regula as transações entre instituições financeiras como bancos, seguradoras e casas de câmbio.

(Com agência France-Presse)