Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Justiça condena por furto homens que acharam o protótipo do iPhone

Aparelho havia sido perdido por um funcionário da Apple em um bar

Por Da Redação 12 out 2011, 17h43

Logotipo Exame.com Dois homens que venderam um protótipo do iPhone 4 que teria sido encontrado em um bar na Califórnia foram condenados por furto, de acordo com o site CNET.

O caso ocorreu no ano passado. O protótipo teria sido esquecido em um bar a cerca de uma hora da sede da Apple, em Cupertino, por um funcionário da empresa. Brian Hogan achou o aparelho e, com a ajuda de Sage Wallower, o vendeu ao site especializado em tecnologia Gizmodo.

A Justiça da Califórnia decidiu não prender os dois homens e os condenou a um ano em liberdade condicional, além de pagar, cada um, 250 dólares à Apple. “É um caso de furto de rotina. Não passam de dois garotos que deveriam ter sido mais inteligentes”, disse o promotor Steve Wagstaffe.

A condenação de Hogan e Wallower é baseada em uma lei de 1872 do estado que diz que qualquer pessoa que encontrar um objeto cujo dono seja identificável e não devolvê-lo, pode ser condenada por furto.

Procurada pela CNET, a Apple não comentou o caso. Na época, a empresa, depois de ver o protótipo no Gizmodo, pressionou a polícia para que o caso fosse investigado. O próprio CEO da empresa na época, Steve Jobs, entrou em contato com o Gizmodo pedindo o telefone de volta. A polícia chegou a fazer uma busca autorizada pela Justiça na casa do editor do site, Brian Lam.

Continua após a publicidade

Publicidade