Clique e assine com 88% de desconto

Grow, startup de patinetes, anuncia enxugamento da operação no Brasil

O serviço de aluguel continua somente em SP, RJ e Curitiba. Bikes, porém, estão fora de circulação

Por Da Redação - Atualizado em 22 jan 2020, 15h50 - Publicado em 22 jan 2020, 15h37

Depois que a maior empresa de compartilhamento de patinetes elétricos do mundo, a americana Lime, demitiu 14% de seus funcionários, saiu do Brasil e de outros 11 mercados, há duas semanas, chegou a vez da brasileira Grow anunciar o enxugamento da sua operação.

A startup, que controla o aluguel dos patinetes das marcas Grin e Yellow, anunciou nesta quarta-feira (22) a reestruturação da empresa. Devem ser encerrada nos próximos dias a operações de patinetes em Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campinas (SP), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), Guarapari (ES), Porto Alegre (RS), Santos (SP), São Vicente (SP), São José dos Campos (SP), São José (SC), Torres (RS), Vitória (ES) e Vila Velha (ES).

Também, foram retiradas das ruas as bicicletas da Yellow, em todas as cidades nas quais havia operação. Segundo a empresa, elas serão submetidas a um processo de checagem e verificação das condições de uso e segurança. O retorno do modal está dependente da startup conseguir parcerias públicas e privadas retomar o serviço. 

A Grow segue operando patinetes em São Paulo (SP), no Rio de Janeiro (RJ) e em Curitiba (PR). “A decisão foi tomada para que a companhia promova um ajuste operacional e continue prestando serviços de forma estável, eficiente e segura”, disse a empresa em comunicado. 

Publicidade

A crise pela qual a empresa passa tem origem em uma disputa entre os sócios que vieram da fusão entre a Grin e Yellow. A briga fez com que um investimento de cerca de 150 milhões de dólares da SoftBank fosse cancelado, agravando o percalço financeiro da companhia. Com isso, foi inciada uma debandada de funcionários de alto escalão, obrigando o enxugamento anunciado no dia de hoje (22).

Publicidade