Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Google vai alterar políticas de privacidade

Novidades preveem cruzamento de informações de usuários provenientes de diferentes serviços da companhia e devem mexer com rotina dos cadastrados

O Google anunciou na noite desta terça-feira uma grande mudança em sua política de privacidade, unificando, a partir de março, os termos de serviço de seus produtos – mais de 60 conjuntos de regras serão substituídos por um único texto. A nova política permitirá que o gigante de buscas relacione todas as informações que os usuários fornecem a diferentes serviços da empresa.

O novo termo de serviço já está disponível para consulta e explica quais informações o Google coletará junto aos perfis de seus usuários e como os dados serão usados. Um dos objetivos da companhia é adequar, de forma mais eficiente, os anúncios exibidos ao gosto e necessidade dos usuários. Um exemplo: se uma pessoa assiste no YouTube ao clipe de uma banda que irá se apresentar em sua cidade, ela provavelmente vai se deparar com o anúncio da venda de ingressos para a presentação em uma página de outro serviço, como o Gmail.

Usuários não terão a opção de proibir o Google de fazer o cruzamento de informações. Analistas ouvidos pelo jornal americano The Washington Post acreditam que a nova política pode perturbar usuários que não esperam que suas informações sejam compartilhadas entre os sites. Eles apostam ainda que a mudança chamará a atenção dos órgãos reguladores americanos para as práticas de concorrência e políticas de privacidade da empresa. O Google concordou, em outobro de 2011, a ser submetido a auditorias relacionadas à privacidade dos usuários pelos próximos vinte anos.

Para escapar das críticas, a companhia já deu exemplos de como as pessoas poderiam se beneficiar da novidade. Munida de informações do usuários, a ferramenta de buscas, por exemplo, poderá saber se a hipotética pesquisa pela palavra “jaguar” será mais eficiente se retornar resultados relacionados ao mamífero ou ao carro de luxo.

Os serviços combinados também poderão alertar o usuário de que ele provavelmente chegará atrasado a uma reunião. Para isso, seriam cruzadas informações sobre a localização do usuário, compromissos agendados e condições de trânsito, todas provenientes de serviços da companhia.