Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Google prefere robôs aos drones da Amazon

Companhia comprou sete empresas da área de robótica nos últimos seis meses

Por Da Redação 4 dez 2013, 16h37

O Google comprou sete companhias da área de robótica no último semestre. O objetivo: construir sistemas automatizados de delivery para a entrega de produtos no período de até 24 horas. Para a empreitada, o Google realocou Andy Rubin, o homem que criou o Android, sistema operacional para dispositivos móveis da companhia. Enquanto Jeff Bezos prevê entregas com drones, o buscador trabalha para que carros inteligentes, e sem motoristas, façam o delivery de mercadorias.

Leia também:

Os desafios da Amazon na adoção de entregas com drones

Para os executivos do Google, a decisão de investir em robôs é fantástica e também mais plausível do que o serviço de Bezos, que apesar de inovador, terá que superar muitos obstáculos antes de começar a operar nos Estados Unidos. Para criar uma nova geração de robôs, o buscador apostou em companhias focadas em robótica. São elas: Autofuss, Bot & Dolly, Holomni, Industrial Perception, Meka Robotics, Redwood Robotics e a Schaft, incubadora da Universidade de Tóquio, especializada na criação e operação de robôs humanoides.

A companhia não divulgou quanto investiu na compra dessas empresas, mas segundo reportagem do New York Times, publicada nesta quarta-feira, não se trata de um projeto de ciência. A ideia por trás das aquisições é comercial, mas o objetivo não é criar soluções para o consumidor final, mas sim para companhias do setor de varejo on-line. Na prática, o que o Google quer é concorrer diretamente com a Amazon através de outros e-commerces.

Por ora, o Google deve automatizar o trabalho dentro dos centros de distribuição de lojas on-line, onde ainda há muitas pessoas separando mercadorias manualmente. Em São Francisco, nos Estados Unidos, a companhia já está testando um serviço chamado Google Shopping, que faz entregas em curtos períodos para empresas como Target, Walgreens e American Eagle Outfitters.

A ideia é que, no futuro, as entregas não dependam de humanos. Mas Rubi adianta que isso não deve acontecer nos próximos meses. “Precisamos de pelo menos 10 anos para desenvolver um sistema de delivery totalmente automatizado”, disse o engenheiro à publicação americana.

Rubin, de 50 anos, começou a sua carreira de engenharia na construção de robôs. Antes de ir para o Google, ele passou pela Apple e pela Carl Zeiss onde desenvolveu trabalhos na área de robótica. No começo do ano, Rubin deixou a equipe Android. Desde então, ele foi convencido por Sergey Brin e Larry Page, fundadores do Google, a se dedicar a um novo projeto. Ele aceitou o desafio.

Continua após a publicidade
Publicidade