Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Google fortalece códigos de segurança para dificultar espionagem

Após revelação de que agências tinham acesso ao conteúdo dos dados criptografados, empresa acelerou a implantação de um novo sistema para tentar garantir a privacidade dos usuários

Por Da Redação 7 set 2013, 14h43

O Google lançou um novo programa para fortalecer os códigos de encriptação de seus sistemas em reposta às recentes revelações de espionagem eletrônica das agências de segurança dos Estados Unidos, publicou neste sábado o jornal Washington Post.

Embora a iniciativa já estivesse em andamento desde o fim do ano passado, o Google decidiu acelerar sua implantação nos centros de dados em todo o mundo para reforçar sua reputação de proteção à privacidade do consumidor.

No entanto, a companhia reconhece que estas ações não impedem totalmente a espionagem, embora consigam tornar mais difícil o acesso tanto para hackers como para agências governamentais.

Leia mais:

Microsoft ajudou FBI e NSA a interceptar mensagens, diz jornal

A indústria informática reagiu com preocupação ao vazamento de dados feito pelo ex-analista da CIA, Edward Snowden, que incluíam informações confidenciais que mostravam vários programas de inteligência dedicados a obter dados de e-mails do Yahoo!, Facebook, Google e Microsoft, entre outros.

Em comunicado emitido durante a semana passada, o diretor de Inteligência Nacional, James Clapper, afirmou que “ao longo da história as nações utilizaram a codificação para proteger segredos, e hoje os terroristas e cibercriminosos também a utilizam para estas atividades”.

Continua após a publicidade

“Nossos serviços de inteligência não estariam fazendo seu trabalho se não resistissem a isto”, acrescentou o comunicado.

Leia também:

Satélites e drone ajudaram EUA na caçada a Bin Laden

NSA interceptou comunicações da ONU, diz revista alemã

Serviço de e-mail criptografado usado por Snowden fecha

Os últimos dados vazados por Snowden ao jornal The New York Times revelaram novas informações sobre como a Agência Nacional de Inteligência (NSA) corrompeu padrões de segurança para torná-los vulneráveis à sua tecnologia e facilitar a espionagem.

Segundo a reportagem, a NSA teria usado todos os métodos a seu alcance, desde a persuasão na colaboração forçada de empresas, roubo de chaves de encriptação e alteração de software e hardware para ter acesso às comunicações privadas na internet e fora dos Estados Unidos.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade