Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Google compra fabricante de câmeras de segurança por US$ 555 milhões

Dropcam será incorporada pela Nest, empresa de automação residencial adquirida pelo gigante de buscas em janeiro

Por Da Redação 23 jun 2014, 12h24

O Google anunciou na noite da sexta-feira a compra da Dropcam, startup que fabrica câmeras de segurança para monitoramento de casas, por 555 milhões de dólares. A nova empresa é a segunda aquisição da companhia no setor de automação residencial desde o início deste ano: em janeiro, o gigante das buscas comprou a Nest, que desenvolve termostatos e sensores de fumaça inteligentes.

Leia também:

Google quer ser gigante também no mundo da Internet das Coisas

Home Kit pode fazer do iPhone o coração da casa inteligente

De acordo com o site Recode, a aquisição será feita por meio da própria Nest, que vai incorporar a startup. As câmeras de segurança da Dropcam adotarão a marca e os funcionários vão se juntar ao escritório da Nest, em São Francisco, na Califórnia. “Ambas as empresas querem ajudar as pessoas a estarem conectadas às suas casas quando não estão lá”, afirmou Matt Rogers, cofundador e vice-presidente da Nest. A aquisição ainda está sujeita à aprovação dos órgãos reguladores nos Estados Unidos.

Novos produtos – Com a aquisição, o Google acelera sua entrada no mercado de casas inteligentes. A Dropcam, além de fabricar câmeras de segurança com conexão de internet, também desenvolveu uma tecnologia própria de acesso às imagens a partir de qualquer dispositivo com conexão de internet. Dessa forma, além de vender as câmeras – que custam a partir de 150 dólares – a empresa cobra 99 reais ao ano para manter um arquivo de imagens acessível por meio da web.

Assim como a aquisição da Nest, contudo, a compra da Dropcam levanta dúvidas sobre como o Google poderá usar os dados coletados nas casas dos clientes no futuro. “As imagens coletadas pela Dropcam estarão sob a mesma política de privacidade da Nest. Os dados não serão compartilhados com nenhuma outra empresa (incluindo o Google) sem o consentimento do cliente. Nosso modelo de negócios é baseado na venda de produtos e publicidade não faz parte de nossa estratégia”, escreveu a empresa, em um comunicado.

Continua após a publicidade
Publicidade