Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Game simula guerra futurista do tráfico de drogas no Rio

O desafio é traçar a melhor estratégia para derrubar o inimigo em 15 minutos

No ano de 2041, o Rio de Janeiro é uma cidade disputada por grupos de traficantes que enfrentam a polícia não apenas com fuzis, mas com armas químicas, laser e bombas de alto poder de destruição. O cenário apocalíptico é o atrativo principal do Favela Wars, um game brasileiro, desenvolvido pela empresa carioca Nano Studio e lançado em versão beta na web nesta segunda-feira. O desafio é enfrentar, por 15 minutos, o time adversário, num duelo de estratégia.

A inspiração para o jogo nasceu de uma situação enfrentada pelo CEO do estúdio, Dan Eisenberg, num dos pavorosos episódios em que bandidos fecham vias expressas na cidade. “Apesar do nome, o ponto central do jogo não é dar tiros, mas comandar uma estratégia vencedora. As armas são futuristas, no cenário que conhecemos do Rio”, explica Eisenberg, que com os sócios investiu quase 1 milhão de reais.

Conheça o jogo – A versão beta foi disponibilizada para mil usuários, no máximo – e até a tarde desta segunda-feira 750 deles já estavam cadastrados. Mas a Nano Studio avalia a possibilidade de ampliar essa capacidade, de acordo com a procura. O acesso é feito pelo endereço http://beta.favelawars.com. Online e interativo, pode ser jogado entre amigos nas redes sociais.

É, basicamente, uma batalha entre o bem e o mal, destaca a Nano Studio. A guerra só termina quando todos os personagens caem. A dificuldade do jogo é considerada moderada, e todas as vozes são dubladas em português. Não existem drogas explícitas, mas é possível comprar armas na loja virtual. Versões para iOS e Android devem ser disponibilizadas em breve.