Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Facebook vai mudar de nome para Meta, para enfatizar metaverso

Mark Zuckerberg, CEO da empresa, disse que a iniciativa tem como objetivo encampar sua visão de realidade virtual

Por Da Redação Atualizado em 29 out 2021, 10h25 - Publicado em 28 out 2021, 15h43

Mark Zuckerberg anunciou nesta quinta-feira, 28, que a holding Facebook será rebatizada com o nome Meta. O CEO da empresa disse que a iniciativa tem como objetivo encampar sua visão de realidade virtual, que ele chama de “metaverso”. “Tenho pensado muito sobre nossa identidade”, disse Zuckerberg, no evento virtual em que fez o anúncio. “Com o tempo, espero que sejamos vistos como uma empresa metaversa.”

Além de rebatizar a empresa que agrega a rede social que mantém o nome Facebook, o Instagram, o WhatsApp, o aplicativo de realidade virtual Oculus e várias outras iniciativas, Zuckerberg também mudou o logo. O novo mostra uma versão levemente modificada do símbolo do infinito, também em azul, ao lado das letras que formam a palavra “Meta”. Ao explicar a mudança de marca, Zuckerberg disse que o nome “Facebook” simplesmente não abrange mais “tudo o que fazemos”.

O anúncio ocorre em meio a uma crise no Facebook. A empresa enfrenta escrutínio do governo americano e de agências regulatórias em várias partes do mundo após revelações sobre a forma como políticas de controle de conteúdo sensível e ofensivo foram conduzidas internamente. A mudança de nome é vista por muitos analistas e especialistas como estratégia para criar uma cortina de fumaça sobre os problemas recentes.

O Real Facebook Oversight Board, um grupo externo focado na empresa, anunciou que manterá seu nome. “Mudar de nome não muda a realidade: o Facebook está destruindo nossa democracia e é o maior vendedor de desinformação e ódio do mundo”, disse o grupo em um comunicado. “A mudança de nome sem sentido não deve desviar a atenção da investigação, regulamentação e supervisão real e independente necessária para responsabilizar o Facebook.”

Frances Haugen, ex-funcionária do Facebook, revelou documentos internos que, segundo ela, mostram como a empresa escolheu o lucro em detrimento da segurança do usuário. No início da semana, Zuckerberg contra-atacou dizendo que os papéis estavam sendo usados para pintar uma “imagem falsa”.

O CEO do Facebook espera que o metaverso alcance um bilhão de pessoas na próxima década. O conceito, segundo ele, diz respeito a um espaço virtual onde as pessoas poderão interagir, trabalhar e criar produtos e conteúdo. A ideia, segundo ele, é que o novo ecossistema crie “milhões” de empregos.

Continua após a publicidade

Publicidade