Facebook que se cuide: Alemanha declara guerra a notícias falsas

Berlim ameaça multar a rede de Mark Zuckerberg em 500 000 euros por post

Por Bianca Alvarenga - 22 jan 2017, 09h28

Na Alemanha, a realização de eleições em setembro próximo e a crise dos refugiados contribuíram para alimentar a boataria virtual. Um dos pontos que estão balizando o debate político entre os candidatos é justamente o generoso acolhimento dos refugiados. Angela Merkel, a atual chanceler e candidata a um quarto mandato, teve uma política de portas abertas – e notícias falsas são usadas para atingir a líder alemã. No início do mês, um relato com a informação de que uma garota fora estuprada por um refugiado circulou maciçamente em perfis e páginas do Facebook na Alemanha. Mais tarde, descobriu-se que essa era mais uma notícia falsa. Como a história é apenas uma entre as inúmeras notícias falsas que circulam pelas redes sociais, o governo alemão decidiu tomar a dianteira no combate à disseminação dos boatos. Os parlamentares querem votar uma lei que impõe uma multa de 500.000 euros ao Facebook por publicação mentirosa que não for apagada da rede.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Publicidade