Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Facebook muda algoritmo — e fica mais parecido com Twitter

Empresa faz reformulações no modo como conteúdos serão exibidos na rede

O Facebook anunciou nesta quarta-feira mudanças no modo como os conteúdos serão exibidos na rede social. Nos próximos dias, a relevância das fotos, textos e vídeos publicados por seus usuários será definida por dois novos critérios: a presença do assunto entre os tópicos mais comentados na rede – área conhecida como Trending Topics -, e a quantidade de comentários e de ‘curtidas’ que um conteúdo recebe nos primeiros minutos em que ele foi publicado. Não há informações relativas de quando os brasileiros serão impactados com as reformulações.

Leia mais:

Drag queens querem usar ‘nome social’ no Facebook

Recurso cria “atalho” para controle de privacidade no Facebook

O acréscimo desses critérios no peso da visualização de um conteúdo é um pedido antigo de seus usuários – principalmente aqueles que acessam o serviço por meio de dispositivos móveis: muitos criticam a rede pela insistência do destaque a publicações antigas, que permanecem por horas (ou dias) na linha do tempo. Segundo o Facebook, os testes realizados previamente com um grupo específico de usuários renderam acréscimo de 6% no engajamento dos usuários com os conteúdos – entenda-se aqui curtir, compartilhar ou clicar nos posts publicados na rede.

Leia mais:

O plano do Facebook para conectar o mundo inteiro

Cientistas criam programa de computador que identifica emoções

“Jovens continuam curtindo o Facebook”

O capítulo de privilegiar assuntos mais populares revela, mais uma vez, uma batalha inusitada dos dois gigantes digitais: a de copiar um ao outro. Assim, os adversários emulam modelos que, em algum momento, tiveram êxito e caíram no gosto dos usuários do oponente. Foi assim com o uso da hashtag, popularizado pelo Twitter e, posteriormente, incorporado ao Facebook; foi assim também com os perfis de personalidades e páginas de marcas, que receberam, em 2010, um selo de autenticidade do Twitter para atestar que um perfil, de fato, é administrado por seu titular de direito. A funcionalidade, posteriormente, foi reproduzida na maior rede social do planeta.