Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Especialista: Conflito Rússia-Ucrânia é a primeira ciberguerra declarada

Guerra se estende ao campo tecnológico, argumenta CEO da Apura

Por Sabrina Brito 16 Maio 2022, 11h57

O conflito entre Rússia e Ucrânia configura também a primeira ciberguerra entre dois Estados-nações avalia o especialista em segurança na internet Sandro Süffert. Fundador e CEO da Apura, Süffert alerta para o risco a que outros países também estão sujeitos.

“A invasão russa da Ucrânia talvez seja o primeiro conflito que também tem gerado grandes repercussões no ambiente cibernético”, afirma. “A grande questão é que a guerra no campo cibernético possui alvos mais difusos.”

Segundo ele, empresas têm filiais em vários países, sendo que muitas organizações mantêm suas infraestruturas cibernéticas espalhadas também por questões de segurança. Isso significa que ataques contra esses sistemas podem acabar atingindo países que não estão envolvidos diretamente nos conflitos.

Além disso, os ‘armamentos’ utilizados em guerras cibernéticas podem ser utilizados em ataques contra alvos diversos, seja para criar confusão, aumentar a sensação de caos, reagir a represálias de outras nações, atingir aliados da Ucrânia, entre outros, e é muito difícil atribuir tais ataques a algum órgão centralizador, o que impossibilita a atribuição de culpa pelos ataques.

O especialista prevê ainda que os investimentos na ciberguerra deixarão uma herança de potencial de ataques cibernéticos. “É uma outra questão preocupante: a expansão do conflito provavelmente está levando ao desenvolvimento de novas tecnologias de ameaça, como é o caso de novos wipers e amostras de ransomware [dispositivos que se infiltram e atacam sistemas], que, quando o conflito cessar, poderão ser utilizados contra alvos diversos”.

Na avaliação do CEO da Apura, há grupos de ciberameaça dos dois lados do conflito – tanto da Ucrânia como da Rússia. A diferença, segundo ele, é que há evidências de que a Rússia “já vinha se ‘armando’ há vários anos, construindo um arsenal de ameaças cibernéticas bastante vasto e diversificado, que possibilita a execução de ataques de diversos tipos”.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)