Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Equipe que chegou à Lua quer que EUA cheguem a Marte

No dia em que a chegada do homem à Lua completa 40 anos, os astronautas da Apollo 11 vão se reunir com o presidente americano Barack Obama em busca de um novo destino: Marte. Neil Armstrong, Edwin “Buzz” Aldrin e Michael Collins, que se reuniram na noite de domingo no museu Smithsonian, em Washington, para comemorar o feito do dia 20 de julho de 1969, têm um encontro nesta segunda-feira com Obama. Eles pretendem pedir ao presidente mais investimentos no setor aeroespacial para que a Nasa consiga levar o primeiro homem ao planeta vermelho.

Cerca de 7.000 pessoas se inscreveram para integrar a plateia que presenciou o reencontro dos astronautas – sendo que só havia 485 assentos disponíveis. Durante o evento, os homens que integraram a equipe da Apollo 11 não deram espaço para a nostalgia. Eles preferiram falar sobre o futuro da exploração espacial e da necessidade de uma nova missão com a magnitude daquela que protagonizaram, desta vez com destino a Marte.

Buzz Aldrin – o homem que gravou, de dentro da nave, o momento em que Neil Armstrong dizia a famosa frase: “Este é um pequeno passo para o homem, mas um grande salto para a humanidade” -, disse que a melhor maneira de homenagear os tripulantes da Apollo 11 seria uma equipe de astronautas “seguir seus passos, em uma nova missão de exploração espacial”.

Já Neil Armstrong falou sobre a Apollo 11 por apenas 11 segundos. Nos 19 minutos restantes, ele deu uma palestra profissional intitulada Goddard, governança e geofísica, durante a qual falou sobre as invenções e descobertas que possibilitaram seu “pequeno passo” em 1969. Armstrong ainda disse que a corrida espacial foi “uma competição pacífica entre Estados Unidos e União Soviética que permitiu aos dois lados alcançar avanços na ciência e na exploração do universo”.

Michael Collins, comandante da Apollo 11, disse que a Lua não é muito interessante, mas Marte sim. “Algumas vezes eu penso que voamos para o lugar errado. Marte era meu destino favorito desde criança, e continua sendo até hoje”. Collins ainda disse que “gostaria de ver Marte se tornar o foco do governo Obama, assim como a Lua foi o foco para John Kennedy”.

Christopher Kraft Jr., o homem que dirigia a missão da Terra, endossou o discurso de Collins e Aldrin. “O que nós precisamos é de novas tecnologias. Nós não fizemos nada desde a Apollo. Eu vou dizer a Obama: ‘Vamos logo com isso, vamos investir no futuro'”.

Antes de encerrado o encontro, Aldrin disse que “foi uma grande honra caminhar pela Lua, mas, como Armstrong havia dito, ainda há lugares no espaço além da imaginação”. Ele encerrou com a seguinte pergunta: “Já não é hora de continuar nossa jornada, ir além da Lua?”