Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Depois do WhatsApp, Line pode ser comprado por US$ 14,9 bilhões

Operadora de telefonia japonesa SoftBank está de olho no aplicativo de mensagens instantâneas, cuja base de usuários é de 340 milhões de usuários

A compra do WhatsApp pelo Facebook por 19 bilhões de dólares promete fazer escola. O Line, concorrente japonês do aplicativo americano, está na mira da operadora de telefonia Softbank, segundo reportagem da Bloomberg. O serviço possui uma base de 340 milhões de usuários – 100 milhões a menos do que o WhatsApp. O valor de mercado do app é de 14,9 bilhões de dólares.

Leia também:

LINE expõe estratégias para desbancar WhatsApp no Brasil

Facebook e WhatsApp existirão juntos – e separados

A oferta acontece dias depois de duas companhias do setor de mensagens instantâneas serem adquiridas por empresas de internet – Facebook e Rakuten, no caso do Viber. A diferença significativa nesta última negociação é que o Line chamou a atenção de um gigante da telefonia celular, justamente quem mais está perdendo receita com o envio de SMS graças à popularização do aplicativo.

Todos os aplicativos têm em comum recursos de envio de mensagens de texto, emoticons e chamadas de voz. “Os serviços oferecidos pelas empresas de telecomunicações tradicionais estão em declínio”, explica o analista de mercado Naoshi Nema, da Cantor Fitzgerald LP, uma companhia de serviços financeiros de Hong Kong. “Se a Softbank comprar o Line, a operadora pode manter o tráfego e fazer dinheiro vendendo games e outros conteúdos para essa base de usuários”, diz.

O Line é controlado pela Naver Corp., uma empresa da Coréia do Sul. Nam Ji Woong, porta-voz da companhia, não confirmou a oferta de investimento por parte da Softbank. Fumiko Hayashi, executivo do app, também não confirmou a intenção de venda.