Clique e assine a partir de 9,90/mês

Na crise, Uber cortará empregos e salário do CEO da empresa

Queda na demanda pelos serviços, causada pela pandemia do coronavírus, exigiram que a empresa enxugasse parte da operação

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2020, 15h15 - Publicado em 6 Maio 2020, 14h30

A empresa de transporte por aplicativo Uber anunciou uma redução no quadro de funcionários que atinge 3700 vagas. Na contenção de uma futura crise, e o presidente-executivo Dara Khosrowshahi também aceitou renunciar ao seu salário-base pelo restante do ano.

Com as viagens por aplicativos em baixa devido a crise sanitária no mundo todo, a empresa reduziu as equipes de suporte e captação de clientes e espera gastar cerca de 20 milhões em custos de indenizações e encargos relacionados.

ASSINE VEJA

Moro fala a VEJA: ‘Não sou mentiroso’ Em entrevista exclusiva, ex-ministro diz que apresentará provas no STF das acusações contra Bolsonaro. E mais: a pandemia nas favelas e o médico brasileiro na linha de frente contra o coronavírus. Leia nesta edição.
Clique e Assine

Ainda sim, a empresa segue com previsões de queda não tão bruscas no faturamento por ter serviços diversificado, incluindo entregas de alimentos e aluguel de transportes.

Publicidade