Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Criador do WhatsApp diz que Brasil ‘se isola do mundo’

Jan Koum se disse 'desapontados com a decisão míope' da Justiça brasileira

Assim como fez Mark Zuckerberg, Jan Koum, cofundador e presidente-executivo do WhatsApp, criticou o bloqueio do aplicativo de mensagens no país. O empresário americano de origem ucraniana afirmou nesta quinta-feira, em sua conta no Facebook, que a decisão “míope” tomada pela 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo “isola o Brasil” do resto do mundo.

“Nós estamos desapontados com a decisão míope de bloquear o acesso ao WhatsApp, uma ferramenta de comunicação da qual tantos brasileiros dependem, e tristes de ver o Brasil se isolar resto do mundo”, afirmou Koum .

Leia também:

Mais de 100 milhões de usuários brasileiros estão sem WhatsApp

Mark Zukerberg critica a suspensão do WhatsApp no Brasil

Justiça determina bloqueio do WhatsApp em todo o país

O bloqueio ao aplicativo foi iniciado em todo o território nacional a partir das 0h desta quinta-feira e deve permanecer por 48 horas. As operadoras brasileiras de telefonia celular aceitaram a decisão, sob pena de multa pela Justiça de São Paulo, informou o O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) ainda na noite desta quarta-feira. A decisão foi tomada pela 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo e o autor da ação não teve sua identidade revelada.

A não colaboração do WhatsApp em uma investigação criminal foi o motivo do bloqueio. As autoridades que investigam um crime obtiveram autorização judicial para que a empresa quebrasse o sigilo de mensagens trocadas pelos suspeitos. No entanto, o WhatsApp não atendeu à solicitação e teve seu serviço bloqueado no país como represália.

Segundo informações do site Consultor Jurídico, o processo que causou o bloqueio investiga um homem preso pela Polícia Civil de São Paulo em 2013, acusado de latrocínio, tráfico de drogas e associação ao Primeiro Comando da Capital (PCC). Ele teria sido solto pelo Supremo Tribunal Federal, graças a um Habeas Corpus, em novembro deste ano.

Reinaldo Azevedo: Suspensão do WhatsApp é uma violência contra milhões de usuários

(da redação)