Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Computador quântico de US$ 15 mi não é mais rápido que computador tradicional — e talvez não seja quântico

Máquina criada por startup e vendida para Nasa e Google apresentou desempenho abaixo do esperado em resolução de problemas complexos

Apresentado como o primeiro computador quântico do mundo, o D-Wave Two System tem desempenho similar ao de um computador comum, de acordo com estudo publicado nesta quinta-feira na revista Science. Não é a única má notícia para a fabricante, a startup canadense D-Wave Systems. Estudos anteriores já questionavam se ele realmente é quântico.

Leia também:

Google e Nasa compram computador quântico

“Ninguém vai jogar Angry Birds em um computador quântico”, diz Nobel de Física

Os cientistas afirmam que o teste foi o mais justo já realizado até agora para comparar um computador quântico com os tradicionais. A fabricante, por sua vez, defende que o estudo não foi capaz de mostrar a capacidade da máquina.

Em teoria, os computadores quânticos devem ser capazes de resolver problemas complexos a velocidades milhares de vezes superiores à atingida pelos computadores tradicionais. Pesquisadores trabalham na tecnologia há mais de uma década, já que ela pode permitir o avanço da mecânica quântica – campo da física que descreve o comportamento da matéria em escala atômica ou molecular – e também para “quebrar” códigos de criptografia.

Os pesquisadores submeteram o D-Wave e dois outros computadores tradicionais a um conjunto de problemas. O D-Wave não se mostrou mais rápido do que os rivais na solução das tarefas. “Não encontramos nenhuma evidência de aumento de velocidade quântica no dispositivo da D-Wave”, escreveu Matthias Troyer, físico do Instituto Federal de Tecnologia da Universidade da Suíça, um dos coautores do estudo, no artigo publicado. “Quanto mais investigamos, mais pessimistas ficamos.” Os resultados alimentam mais as dúvidas de muitos físicos que consideram que o computador da D-Wave não seria quântico.

Desde 2011, a D-Wave já vendeu computadores quânticos para a empresa de aviação Lockheed Martin, além da Nasa e Google, cada um por cerca de 15 milhões de dólares. Segundo a fabricante, a máquina seria 35.500 vezes mais rápida do que um computador tradicional ao resolver problemas complexos. “Estou convencido de que nós poderemos encontrar classes de problemas em que uma nova geração de computadores quânticos vai superar qualquer algoritmo clássico”, defendeu Harmut Neven, diretor de engenharia do Google, um dos clientes da D-Wave.

Saiba mais

COMPUTADOR QUÂNTICO

Ao contrário da física clássica, onde os conceitos de onda e partícula estão separados, no universo quântico são as duas faces de um mesmo fenômeno, uma propriedade que, teoricamente, permite multiplicar as capacidades dos computadores. A parte da informação mais básica que um computador atual pode entender é um bit. Este é um dígito binário ou de dois valores, isto é, 0 ou 1, que também é uma unidade de medida no computador que designa a quantidade elementar de informação. No mundo quântico, esta unidade básica, chamada qubit, pode ter valor 0 ou 1 como um bit, mas também possuir os dois valores ao mesmo tempo, uma estrutura descrita como “superposição”. Esta característica, em teoria, permitirá aos computadores quânticos realizar milhões de cálculos simultaneamente. Atualmente, as unidades informáticas de maior desempenho podem decifrar um número de até 150 cifras, mas um número de 1.000 dígitos requereria praticamente toda a potência de cálculo disponível no mundo, enquanto que um computador quântico o faria em apenas algumas horas.

(Com Agência France Presse)