Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Começa a operar no Brasil primeira loja física de bitcoins

Franquia da Bitcoin to you permite vender moeda virtual e sacar dinheiro na hora, além de comprar bitcoins com cartão de crédito

Por Claudia Tozetto
17 jun 2014, 17h05

Começou a funcionar nesta terça-feira, em Curitiba, a primeira loja física para compra e venda da moeda virtual bitcoin do Brasil. Trata-se da primeira franquia da marca Bitcoin to you, fundada em 2010 pelo analista de sistemas André Horta, que permite negociar bitcoins por meio da internet. Na loja, os usuários poderão vender suas moedas virtuais e receber dinheiro na hora, além de comprar mais moedas, por meio de pagamento em dinheiro ou cartão de crédito.

Leia também:

Maior site de compra e venda de bitcoins sai do ar em meio a rumores sobre fraude

Bitcoins: uma viagem louca ao passado das moedas

De acordo com Horta, o plano é expandir o modelo de franquia para outras cidades do Brasil – São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador já teriam interessados. “Queremos levar o bitcoin para fora da internet e aproximar a moeda virtual das pessoas”, diz o executivo. Para abrir uma franquia da Bitcoin for you, o interessado precisa ser usuário de bitcoins, além de pagar uma taxa única que varia entre 3.000 e 10.000 reais. Ela inclui a licença de uso da marca, material de divulgação e, em alguns casos, reforma do ponto de venda.

Continua após a publicidade

Ao chegar à loja física, o usuário pode consultar o preço do bitcoin no site Bitcoin for you. O franqueado faz o cálculo de acordo com o valor disponível no site e informa o preço final para comprar determinada quantia de bitcoins. O Bitcoin for you não cobra nenhuma taxa sobre as transações realizadas na loja física e o cliente pode pagar pelas compras em dinheiro ou cartão. Ao concluir a operação, o usuário recebe um comprovante com o número da carteira virtual onde os bitcoins adquiridos estão “depositados”.

No caso da venda de Bitcoin, basta que o usuário informe quantas moedas virtuais quer negociar e o atendente efetiva a venda por meio do site. Com isso, é possível receber o valor em dinheiro na hora, como se estivesse trocando moedas estrangeiras em uma casa de câmbio tradicional. “Esperamos vender cerca de 600 bitcoins na loja de Curitiba, o que deve movimentar cerca de 1 milhão de reais por mês”, prevê Horta.

O comércio de bitcoins em lojas físicas já acontece em algumas cidades do exterior onde a moeda é mais popular, como Hong Kong (China), Londres (Grã-Bretanha) e Nova York (Estados Unidos). A ideia de montar uma loja como esta no Brasil, embora o bitcoin ainda não seja tão popular no país, surgiu após conversas com um colega que montou uma loja de bitcoins em Londres. “O movimento era grande e percebi que o contato pessoal ajuda a tirar dúvidas dos interessados sobre como funciona a moeda virtual”, diz Horta.

No Brasil, além de comprar e vender moedas virtuais por meio da internet e, agora, em uma loja física, há também a opção de comprar bitcoins em um caixa eletrônico. Parecido com máquinas que vendem doces e salgadinhos, o equipamento recebe cédulas em reais e converte o valor em bitcoins, que são adicionados a uma carteira virtual. Ela está instalada em um bar no bairro do Itaim Bibi, em São Paulo. A compra na loja física, porém, sai na frente por permitir a venda da moeda virtual e o saque imediato do valor em reais, o que ainda não é realidade no caixa eletrônico disponível no Brasil.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.