Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Caixa eletrônico de bitcoins chega ao Brasil na próxima semana

Máquina que converte cédulas de real em bitcoins poderá ser testada durante a Campus Party, em São Paulo

O primeiro caixa eletrônico de bitcoins da América Latina começa a operar na próxima semana em São Paulo. Parecido com máquinas que vendem doces e salgadinhos, mas em tamanho menor, o caixa eletrônico recebe cédulas de real e converte o valor em bitcoins, que podem ser adicionados a uma carteira virtual. O modelo, porém, não permite converter bitcoins em reais. O novo canal para compra da moeda virtual será operado pelo Mercado Bitcoin, site brasileiro que facilita o comércio da moeda.

Leia também:

Bitcoins: uma viagem louca ao passado das moedas

O caixa eletrônico de bitcoins custou 10.000 dólares e foi encomendado pelo Mercado Bitcoin à fabricante americana Lamassu em maio de 2013. O produto ficou pronto apenas em novembro, já que precisou ser ajustado para reconhecer cédulas de real e mostrar informações em português. A estreia da máquina está programada para o primeiro dia da Campus Party, evento de tecnologia que acontece entre 27 de janeiro e 2 de fevereiro, em São Paulo.

“Queremos que o bitcoin ganhe mais visibilidade para as pessoas. Ver uma transação acontecendo torna a moeda virtual mais palpável”, diz Rodrigo Batista, CEO do Mercado Bitcoin, ao site de VEJA.

Atualmente, as transações de compra e venda de bitcoins podem acontecer diretamente entre dois usuários, por meio da transferência da moeda de uma carteira virtual para outra. Outra opção é se cadastrar em sites como o Mercado Bitcoin. Neste caso, é preciso comprar créditos para fazer transações. O valor do crédito, em reais, fica disponível para comprar bitcoins de outros usuários cadastrados no site. O valor de cada bitcoin é definido por quem vende a moeda virtual.

De acordo com Batista, as transações realizadas por meio do caixa eletrônico estão sujeitas a uma taxa de 2,5% sobre o valor do bitcoin na última transação realizada no Mercado Bitcoin. Depois do lançamento do caixa eletrônico na Campus Party, a empresa pretende colocar a máquina em algum estabelecimento próximo ao centro financeiro de São Paulo, mas ainda não definiu o local. “Ainda estamos explicando como o bitcoin funciona e precisamos convencer os comerciantes, que têm medo de roubos”, diz Batista.

Vale-bitcoin – Além da presença do caixa eletrônico, o Mercado Bitcoin pretende distribuir bitcoins entre os participantes da Campus Party. A empresa entregará vales no valor de 0,001 bitcoin, o equivalente a cerca de 20 centavos de real. Para resgatar o valor, é necessário se cadastrar no site do Mercado Bitcoin.

A empresa distribuirá o equivalente a 1.200 reais em vales para trocar por bitcoins ao longo da Campus Party. “Não sabemos o que esperar com o caixa eletrônico, então os vales serão uma boa forma de medir a receptividade das pessoas ao bitcoin. A quantia não é muito grande, porque o Mercado Bitcoin ainda é uma empresa pequena”, diz Batista.