Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Apple pode vender relógio inteligente por US$ 400 nos EUA

Chamado informalmente de iWatch, dispositivo vai marcar entrada da empresa em nova categoria de produtos

A Apple deve vender seu primeiro relógio inteligente, chamado informalmente de iWatch, por cerca de 400 dólares, de acordo com fontes do site Recode. Se confirmado, o valor será mais alto que o preço de 300 dólares, cogitado por analistas nos últimos meses. Ambas as opções colocariam o relógio em um patamar de preço superior ao de concorrentes. A Apple não confirma as informações, mas dados divulgados pelo site anteriormente se revelaram verdadeiros após o anúncio oficial.

Leia também:

Cinco novidades que devem ser apresentadas pelo iPhone 6

Os 10 melhores recursos do novo sistema do iPhone

O iWatch deve ser divulgado pela Apple no mesmo dia que o iPhone 6, nova versão do smartphone da Apple. A empresa vai realizar um evento de lançamento de novos produtos no próximo dia 9 de setembro, em Cupertino, na Califórnia. Contudo, ainda de acordo com o Recode, a fabricante só deve iniciar a venda do novo produto no início de 2015. A estratégia de lançamento deve ser semelhante à do primeiro iPhone, que só chegou às lojas somente seis meses após o anúncio oficial.

Com o lançamento do seu primeiro relógio inteligente, a Apple vai entrar em uma nova categoria de produtos, quatro anos depois do anúncio de seu primeiro tablet, o iPad. A expectativa entre os analistas de mercado é de que a Apple traga inovações para o segmento de wearables – gadgets que são usados como acessórios pessoais, como óculos, relógios e pulseiras. Diversos concorrentes da empresa de Cupertino, como Samsung e LG, estão apostando neste mercado.

O produto – O relógio inteligente da Apple deve ter uma tela curva de 2,5 polegadas feita com a tecnologia OLED (diodo emissor de luz orgânico, na sigla em inglês) e coletará informações sobre a saúde do usuário, como gasto de calorias, qualidade do sono, glicose e oxigênio no sangue. As informações sincronizadas com o iPhone ficarão armazenadas no app Health.

O acessório também deve receber recursos já existentes em relógios concorrentes, como exibição de mensagens de texto (SMS), e-mails e chamadas de voz recebidas no celular. O acessório poderá incorporar mais de dez sensores, entre eles um dedicado a monitorar a frequência cardíaca.