Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Apple Music terá preço menor para brasileiros

No país, o pacote individual do streaming de músicas da Apple será metade do valor cobrado nos Estados Unidos. Os preços serão diferentes de acordo com os países em que o serviço está disponível, para manter a competitividade

Por Da Redação 3 jul 2015, 18h49

O Apple Music, serviço de streaming musical que estreou na última terça-feira (30), terá um preço menor no Brasil que nos Estados Unidos. Aqui, o serviço individual custa 5 dólares, enquanto para os americanos o valor é de 10 dólares. A Apple decidiu estabelecer valores diferentes de acordo com os países, para manter a competitividade com serviços semelhantes. Na Tailândia e Indonésia o serviço terá o mesmo valor que no Brasil, em Hong Kong vai custar 6 dólares, enquanto, na Índia, 2 dólares. O plano familiar, que nos Estados Unidos será de 15 dólares, também é variável.

Pelo menos no Brasil, apesar de o preço ser mais baixo, ele ainda não será, necessariamente, mais barato. Com o atual valor do dólar, em torno de 3 reais, o custo equivale a 15 reais – isso sem contar as taxas eventuais do cartão de crédito. Nesses primeiros três meses, o serviço é gratuito.

Leia também:

Divulgado trailer oficial de novo filme de Steve Jobs

A matemática da música de sucesso

A estratégia é relativamente nova para a Apple, que no passado preferiu manter os preços originais de seus produtos, como o iPhones e iPads, em todo o globo. No entanto, com concorrentes como Spotify, Deezer e Rdio, que atuam no Brasil, a empresa decidiu alterar os preços do serviço de música. Uma das pretensões pode ser a intenção de se popularizar também no Android, o sistema operacional móvel mais usado do mundo, do Google, e rival do IOS da Apple (mas onde o Music pretende estar; o lançamento está previsto para os próximos meses).

O canal funciona nos dispositivos da empresa, iPhones, iPads e Macs, além de computadores com iTunes instalado. Para utilizar o Apple Music, é necessário atualizar o sistema para o iOS8.4 e acessar o aplicativo Music. Quem usa o Beats Music pode migrar as assinaturas para o Apple Music e os que possuem canções do iTunes podem importar as faixas para o novo canal de streaming.

Como desativar o Apple Music – Para aqueles que preferem não usar o serviço e não entenderam como ele começou a funcionar em seus iPhones e iPads, é fácil desligar (em partes) o Apple Music. Basta ir em Ajustes, clicar em Música e desligar a função “Mostrar Apple Music”.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês