Clique e assine com até 92% de desconto

Anatel vai medir qualidade da banda larga no Brasil

Agência espera contar com a participação de 12.000 voluntários espalhados pelo país, que receberão modens gratuitos para teste

Por Da Redação 29 ago 2012, 17h39

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Ministério das Comunicações anunciaram nesta quarta-feira um projeto que pretende medir a qualidade da banda larga no Brasil. De acordo com Jarbas José Valente, presidente substituto da Anatel, o projeto estabelecerá fiscalização constante da rede, garantindo que as operadoras de telefonia móvel e fixa ofereçam serviços de qualidade aos consumidores.

Leia também:

Número de acessos à web banda larga chega a 78 mi

Anatel quer 12.000 usuários para medir qualidade da banda larga fixa no Brasil

Serviços de telecom devem crescer 8% em 2012, diz IDC

Para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, a demanda crescente, aliada a uma aferição de qualidade da velocidade da rede, poderá levar a uma melhora na infraestrutura atual de telecomunicações no país. “Isso vai nos ajudar a aumentar a qualidade da rede e a competição entre companhias, além de ajudar o usuário a se orientar quanto às opções oferecidas”, disse. Ele disse que o movimento deverá afetar também o segmento de celulares. “Nos já sabemos que os smartphones vão entrar na ‘lei do bem’. Por isso, já avisei as operadoras que elas vão vender smartphones como pipoca.”

A primeira fase do período de testes começa no próximo mês, e a Anatel afirmou que deve contar com a ajuda de 12.000 voluntários, que poderão se inscrever a partir do site www.brasilbandalarga.com.br até o dia 29 de outubro. Os usuários sorteados receberão um modem especial, que será conectado à sua estrutura de rede doméstica. “É importante lembrar que o dispositivo não acessará os dados pessoais de ninguém. Sua função é apenas a de medir a velocidade de transferência de dados”, disse o ministro.

Bernardo também afirmou que os primeiros resultados devem aparecer em dezembro. “Vejo que as companhias não estão muito satisfeitas com os testes. É por isso mesmo que sabemos que o projeto é necessário.”

Continua após a publicidade
Publicidade