Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alemães estudam proibir festas organizadas no Facebook

Segundo autoridades, eventos podem se transformar em risco para segurança. Em junho, um 'convite público' reuniu 1.600 pessoas em festa em Hamburgo

Autoridades de estados da Alemanha exigiram a proibição da convocação de festas por meio de redes sociais, especialmente o Facebook, após o registro de vários incidentes por comparecimento em massa.

“Quando a segurança e a ordem pública são ameaçadas, as convocações de festas através do Facebook devem ser proibidas de antemão”, disse em entrevista ao jornal Welt am Sonntag o ministro do Interior do estado da Baixa Saxônia, Uwe Schünemann.

Schünemann exigiu que os jovens recebam em escolas e universidades informações sobre os perigos das redes sociais e sugeriu que as prefeituras exijam dos pais dos anfitriões das festas que assumam os custos derivados por distúrbios e perturbação da ordem.

Joachim Hermann, que ocupa o mesmo cargo na Baviera, advertiu por sua vez que um inocente convite a uma festa de aniversário pode se transformar rapidamente “em um grave problema de segurança” de consequências imprevisíveis.

O alarme por essas convocações foi levantado após uma tentativa – infeliz – de convidar amigos a uma festa de aniversário pelo Facebook na cidade de Hamburgo, na Alemanha. A jovem Thessa, que completava 16 anos, propôs a seus amigos na maior rede social do mundo que aparecessem em sua casa na noite de sexta-feira para celebrar a data. No entanto, o convite não fora marcado como privado e, sim, público. Resultado: cerca de 1.600 desconhecidos se concentraram em frente à casa da adolescente. Segundo a polícia local, onze pessoas foram detidas – e posteriormente liberadas – por lesão corporal.

No fim de semana de Pentecostes, a polícia teve que dissolver várias festas convocadas através do Facebook, entre elas uma em Wuppertal, no oeste do país, à qual se somaram espontaneamente 800 pessoas. Mais de 41 jovens foram detidos, e pelo menos 16 pessoas ficaram feridas devido aos distúrbios.

(Com agência Efe)