Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Zodiac vai solicitar à Anvisa liberação de vacina da Moderna para bebês

Empresa informou que pedido para uso de imunizante em população com mais de 6 meses deve ser feito ainda neste semestre

Por Paula Felix 2 Maio 2022, 15h45

A Zodiac, que representa a Moderna no Brasil, vai solicitar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido de registro definitivo do imunizante da empresa de biotecnologia contra a Covid-19 para bebês a partir de seis meses e demais faixas etárias ainda neste semestre. Um pedido para uso em crianças pequenas foi feito para a Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora norte-americana, após testes apontarem segurança e eficácia da vacina no grupo de seis meses a seis anos de idade.

Segundo a Zodiac, empresa do Grupo Adium, o pedido de regulação, distribuição e comercialização no Brasil está em fase de elaboração e a expectativa é de que a liberação ocorra até o fim deste ano. A informação foi dada ao jornal O Globo e confirmada por VEJA.

A vacina contra Covid da Moderna utiliza a tecnologia de RNA mensageiro, assim como o imunizante da Pfizer, e é usada em 84 países. Nos Estados Unidos, a empresa fez um pedido de autorização de uso emergencial da vacina no esquema de duas doses em crianças dos grupos de 6 meses a menos de 2 anos e de 2 anos a menos de 6 anos na semana passada. Testes realizados com esses grupos apontaram que houve “resposta robusta dos anticorpos neutralizantes”, segundo a Moderna.

“Acreditamos que a mRNA-1273 será capaz de proteger com segurança essas crianças contra o SARS-CoV-2, e isso é muito importante em nossa luta contínua contra a Covid-19, e será especialmente bem aceita pelos pais e cuidadores”, informou, em comunicado, Stéphane Bancel, CEO da Moderna.

O imunizante ainda não é aplicado em nenhuma faixa etária no Brasil, mas a Zodiac já se reuniu com a Anvisa para iniciar as tratativas sobre o processo de registro da vacina no país.

No Brasil, a vacinação infantil contra a Covid-19 é feita com o imunizante da Pfizer, liberado para crianças de 5 a 11 anos, e com a CoronaVac, aplicada no grupo com mais de 6 anos, mas que está em fase de apresentação de mais dados para tentar a aprovação de alteração da bula e, assim, poder ser indicada para o público de 3 a 5 anos.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês