Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vendas de genéricos no terceiro trimestre tem o menor crescimento desde 2001

Apesar das vendas terem aumentado 16,6% em comparação com o ano anterior, o ritmo é o menor desde que esses remédios passaram a ser comercializados no Brasil

Apesar de terem aumentado no terceiro semestre de 2012 em relação ao ano anterior, as vendas de medicamentos genéricos no Brasil apresentou o menor ritmo de crescimento desde 2001, quando os genéricos começaram a ser vendidos no país. De julho a setembro deste ano, o setor registrou alta de 16,6% em relação ao mesmo período de 2011, segundo análise da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos). Esse estudo usou dados do IMS Health, instituto que avalia o mercado farmacêutico.

No acumulado do ano, as vendas de genéricos cresceram 19,8% – no mesmo intervalo de 2011, a expansão foi de 31,8% e, em 2010, de 32,8%. Em receita, as vendas de genéricos movimentaram 2,8 bilhões de reais entre julho e setembro contra 2,3 bilhões de reais no mesmo período do ano anterior – um aumento de 21%.

Desaceleração – Para a PróGenéricos, os resultados indicam que os genéricos vêm acompanhando a desaceleração da economia como um todo. O mercado farmacêutico em geral também diminuiu o ritmo de crescimento no terceiro trimestre. A indústria registrou vendas de 680,6 milhões de unidades de medicamentos entre julho e setembro de 2012 contra 606 milhões em igual período de 2011 – uma alta de 12%. No terceiro trimestre de 2011, por outro lado, o crescimento havia sido de 13% nas vendas em relação a 2010.

A participação de mercado dos genéricos, porém, cresceu no terceiro trimestre de 2012. O setor tem hoje, segundo a PróGenéricos, 26,6% de fatia de mercado contra 25,6% no ano passado. A associação estima chegar a 30% no final de 2013.

(Com Estadão Conteúdo)