Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vendas de genéricos no terceiro trimestre tem o menor crescimento desde 2001

Apesar das vendas terem aumentado 16,6% em comparação com o ano anterior, o ritmo é o menor desde que esses remédios passaram a ser comercializados no Brasil

Por Da Redação 14 nov 2012, 22h29

Apesar de terem aumentado no terceiro semestre de 2012 em relação ao ano anterior, as vendas de medicamentos genéricos no Brasil apresentou o menor ritmo de crescimento desde 2001, quando os genéricos começaram a ser vendidos no país. De julho a setembro deste ano, o setor registrou alta de 16,6% em relação ao mesmo período de 2011, segundo análise da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos). Esse estudo usou dados do IMS Health, instituto que avalia o mercado farmacêutico.

No acumulado do ano, as vendas de genéricos cresceram 19,8% – no mesmo intervalo de 2011, a expansão foi de 31,8% e, em 2010, de 32,8%. Em receita, as vendas de genéricos movimentaram 2,8 bilhões de reais entre julho e setembro contra 2,3 bilhões de reais no mesmo período do ano anterior – um aumento de 21%.

Desaceleração – Para a PróGenéricos, os resultados indicam que os genéricos vêm acompanhando a desaceleração da economia como um todo. O mercado farmacêutico em geral também diminuiu o ritmo de crescimento no terceiro trimestre. A indústria registrou vendas de 680,6 milhões de unidades de medicamentos entre julho e setembro de 2012 contra 606 milhões em igual período de 2011 – uma alta de 12%. No terceiro trimestre de 2011, por outro lado, o crescimento havia sido de 13% nas vendas em relação a 2010.

A participação de mercado dos genéricos, porém, cresceu no terceiro trimestre de 2012. O setor tem hoje, segundo a PróGenéricos, 26,6% de fatia de mercado contra 25,6% no ano passado. A associação estima chegar a 30% no final de 2013.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade