Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Vacinação infantil contra a Covid-19 começa nesta sexta em São Paulo

A primeira criança a ser imunizada receberá a dose pediátrica da vacina da Pfizer em cerimônia a ser realizada no Hospital das Clínicas

Por Cilene Pereira Atualizado em 14 jan 2022, 09h24 - Publicado em 14 jan 2022, 08h50

O estado de São Paulo iniciará nesta sexta-feira, 14, a campanha de vacinação infantil contra a Covid-19. A primeira criança a ser imunizada receberá a dose pediátrica da vacina da Pfizer em cerimônia que será realizada no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, na capital paulista. Foi no mesmo local que, no dia 17 de janeiro do ano passado, a enfermeira Mônica Calazans recebeu a dose inicial da CoronaVac, dando início à campanha no Brasil.

Os lotes com o imunizante começaram a chegar na quinta. Desembarcaram no Aeroporto de Viracopos, interior de São Paulo, 1,2 milhão de doses pediátricas do imunizante. Na primeira leva, São Paulo receberá 250 mil unidades. Deverão receber a vacina crianças de 5 a 11 anos de idade. Inicialmente, serão priorizadas crianças com comorbidades ou deficiência, indígenas ou quilombolas. O cadastro das crianças está aberto e pode ser feito no Vacine Já. Ele é opcional.

O governo estadual pretende usar 268 escolas públicas como ponto de vacinação e também outros cinco mil pontos.

A capital paulista planeja iniciar a campanha na cidade na próxima segunda-feira 17.

IMUNIZAÇÃO INFANTIL

É importantíssimo vacinar as crianças. O imunizante é eficaz e seguro, como demonstraram estudos necessários à sua aprovação. A vacina vem sendo aplicada em vários países do mundo desde meados do segundo semestre do ano passado e os relatos de efeitos adversos são raros e, em sua maioria, totalmente reversíveis.

Além disso, pais e responsáveis: a maior parte das crianças internadas ou que morreram por causa da Covid-19 não estava vacinada.

A ciência já nos deu os recursos contra a doença. As vacinas são, sem dúvida, um dos mais importantes. Elas salvam vidas.

Continua após a publicidade

Publicidade