Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vacinação: 87% dos brasileiros de 70 a 79 anos receberam ao menos uma dose

Na faixa etária acima de 80 anos, o percentual que já recebeu a primeira aplicação da vacina chega a 88,9%; segunda dose, no entanto, ainda é um desafio

Por Mariana Rosário Atualizado em 17 Maio 2021, 09h28 - Publicado em 16 Maio 2021, 18h52

A vacinação contra a Covid-19 de pessoas com idades entre 70 e 79 anos chegou a 87,5% dos brasileiros. O quantitativo animador, porém, diz respeito apenas à primeira dose — quando consideramos também a segunda aplicação e, portanto, o esquema vacinal completo, a taxa de imunização cai para 64,6% nessa faixa etária.

Esses dados fazem parte do painel do Ministério da Saúde e foram compilados por VEJA até o dia 11 de maio. A faixa etária de pessoas com idades acima de 80 anos é a mais vacinada até aqui, com 88,9% das pessoas tendo recebido a primeira dose, mas está atrás na segunda dose, com apenas 50,5% com os dois imunizantes aplicados.

LEIA TAMBÉM: Covid-19: os bastidores e detalhes da vacinação inédita em Botucatu

A faixa etária dos 60 anos apresenta grande variação entre dois grupos: chega a 54,8% entre aqueles que têm entre 60 e 64 anos (mas com somente 4,5% com duas aplicações contabilizadas) e atinge 78,8% entre os brasileiros com 65 a 69 anos (27,57% desse segmento etário recebeu duas doses).

Uma razão para a discrepância tão expressiva no grupo dos 60 a 64 anos é que sua inclusão ocorreu mais recentemente, momento em que o Brasil começou a aplicar com mais intensidade as vacinas que necessitam de doze semanas de pausa entre as aplicações, caso da Pfizer e AstraZeneca.  O outro antígeno em uso no país, a CoronaVac, deve ser aplicada com 28 dias de intervalo entre as duas etapas, o que causa maior proximidade entre os números de primeira e segunda dose.

Especialistas em saúde dizem que é fundamental que todos recebam as duas aplicações de imunizantes, para ter uma vacinação durável e com a eficácia semelhante à aferida nos estudos clínicos.

Veja os números da vacinação no Brasil:

Continua após a publicidade
Publicidade