Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vacina: ritmo dobra nos primeiros dias de abril em relação a março no país

Cálculo comparando o início dos dois meses sinaliza importante aumento nas aplicações; mas a velocidade ainda está muito aquém do necessário

Por Mariana Rosário 8 abr 2021, 18h27

Nos sete primeiros dias de vacinação de abril, em comparação ao mesmo período de março, o ritmo de aplicações de imunizantes contra Covid-19 dobrou. As informações são do portal Our World in Data, ligado à Universidade de Oxford.

A semana contabilizou 3,9 milhões de agulhadas, aproximadamente. Em março,esse número ficou em 1,7 milhão ao longo dos sete primeiros dias, considerando as médias móveis. Trata-se de uma taxa importante, mas que precisa quase dobrar para que atinja a meta de 1 milhão de doses por dia, conforme projetou o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Até agora, 22.082.143 milhões de doses foram aplicadas em primeira etapa e 6.324.637 milhões em segunda etapa.

O que está embarreirando o avanço da vacinação é justamente a falta de vacinas. Neste mês de abril em que foi anunciada a entrega de 8,4 milhões de doses dos imunizantes Covaxin e Sputnik — ambos sem aval da Anvisa — deveremos contar somente com Fiocruz (vacina de Oxford) e Butantan (CoronaVac) com segurança.

A Fiocruz anunciou que garantiu matéria-prima suficiente para liberar por volta de 18,4 milhões de doses neste mês e outras 21,5 milhões em maio. Já o Instituto Butantan, responsável pela vacina CoronaVac, deve concluir a cota de 46 milhões de doses já entregues neste mês de abril. Para tanto, faltam 8 milhões de doses. A partir de então, será iniciado as entregas de 54 milhões de doses até agosto.

Acompanhe a vacinação no Brasil:

Continua após a publicidade
Publicidade