Clique e assine a partir de 9,90/mês

Universidade de Oxford retoma testes com vacina para Covid-19

Estudos foram paralisados nesta semana após uma das voluntárias apresentar efeitos adversos

Por Mariana Rosário - Atualizado em 12 set 2020, 11h03 - Publicado em 12 set 2020, 10h59

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) informou na manhã deste sábado, 12, que a Universidade de Oxford, no Reino Unido, retomará os testes da vacina para Covid-19 que teve a paralisação divulgada na terça-feira, 8. As duas instituições são parceiras na testagem do fármaco em 5.000 voluntários brasileiros. O medicamento é desenvolvido em parceria com a farmacêutica Astrazeneca.

A retomada, inicialmente, se dará em todos os locais que participam dos ensaios clínicos no Reino Unido. De acordo com o comunicado, 18.000 indivíduos já receberam doses do medicamento globalmente, no Brasil, a marca é de 4.600 pessoas que já receberam a aplicação. O comunicado informa que “o processo de revisão independente foi concluído e, seguindo as recomendações do comitê independente de revisão de segurança e do regulador britânico, o MHRA, os testes serão retomados no Reino Unido”.

Os estudos foram paralisados após uma das voluntárias apresentar efeitos adversos, acredita-se que o adoecimento foi de ordem neurológica grave.

Aqui no Brasil, a retomada está condicionada à liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e e do Comitê Nacional de Ética e Pesquisa (Conep). A expectativa da Unifesp — que coordena os estudos por aqui — é que as atividades sejam retomadas normalmente. Ao todo, participam 5.000 voluntários em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.

Continua após a publicidade
Publicidade