Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Teste para diagnóstico de HIV em casa será vendido em farmácias

Exame feito com base em análise de saliva deve estar disponível a partir de abril

Um teste para diagnóstico de HIV em casa começará a ser usado no Brasil no próximo ano. Desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o exame é feito com base em análises de saliva.

Organizações não governamentais já começam a ser treinadas para o uso adequado do kit. Na primeira etapa, o exame será oferecido para populações consideradas vulneráveis para a doença, como profissionais do sexo, gays, usuários de drogas e travestis. Depois de abril, ele deverá ser vendido em farmácias. “Esse é o futuro”, disse o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa. “O teste é uma ferramenta valiosa para ampliar o diagnóstico da doença”, completou.

Vacina brasileira anti-HIV começa a ser testada em macacos

Epidemia de aids pode chegar ao fim em 2030, diz ONU

Pacientes com HIV terão tratamento antecipado no Brasil

Nos últimos anos, diversas campanhas para incentivar verificação foram realizadas. Exames rápidos também passaram a ser oferecidos em serviços públicos de saúde. Os números obtidos até agora, no entanto, são considerados tímidos.

O governo estima que 150 mil pessoas tenham HIV no Brasil e não saibam. O problema é considerado grave porque reduz as chances de começar o tratamento na fase inicial da doença. A terapia precoce, além de garantir a qualidade de vida para o soropositivo, é considerada por especialistas um instrumento importante para prevenir novas infecções pelo vírus.

Quando o portador do HIV está sob tratamento, a quantidade de vírus circulante em seu organismo cai, reduzindo o risco de infecção do parceiro em relações sexuais desprotegidas. “Além disso, quando a pessoa sabe da sua condição sorológica, ela pode reforçar as medidas de prevenção”, disse Barbosa.

Outra tentativa – Trata-se da segunda geração do teste para HIV feito com saliva desenvolvido pela Fiocruz. O exame atual é considerado seguro e confiável.

Hoje, 20 organizações não governamentais estão em treinamento para usar o teste. Outras 20 deverão ser recrutadas. A expectativa é de que até o início do ano uma portaria com as regras para padronizar o teste seja publicada. Para a venda em farmácias, segundo Barbosa, será preciso um registro, emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Livro – Neste domingo, a jornalista Roseli Tardelli lança o livro O Valor da Vida, que marca os 10 anos da Agência de Notícias da Aids, fundada por ela para disponibilizar conteúdo relativo ao vírus HIV. O objetivo, segundo a autora, é ampliar o alcance do projeto.

O livro conta sua trajetória ao lado do irmão, Sérgio Tardelli, que era portador do HIV. Nos anos 1990, os dois foram pioneiros na luta pelo direito de brasileiros soropositivos de serem atendidos pelos planos de saúde e convênios médicos. Venceram a batalha nos tribunais, mas Sérgio morreu anos depois.

(Com Estadão Conteúdo)