Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Taxa de atraso para a segunda dose da vacina anti-Covid no Brasil é de 11%

O Ceará é o estado com maior índice de pessoas que não apareceram para receber a segunda injeção: 33%. O Rio Grande do Norte apresenta a menor taxa, de 5%

Por Cilene Pereira
2 out 2021, 19h57

A taxa de atraso vacinal em relação à segunda dose em todo o Brasil é de 11%, segundo o novo boletim VigiVac, produzido pela Fundação Oswaldo Cruz. No caso da vacina da AstraZeneca, o atraso é de 15%. Em relação ao imunizante CoronaVac, o índice é de 33% e, no que diz respeito à vacina da Pfizer, de 1%. Foi considerada uma situação de atraso quando o indivíduo não aparece para receber a segunda dose depois de 14 dias da data prevista. Para a AstraZeneca e a Pfizer, foram considerados 84 dias de intervalo para a segunda dose. No caso da CoronaVac, 28 dias.

Os índices foram calculados com base nos dados de vacinação registrados até 15 de setembro. O estado com a maior taxa de atraso é o Ceará, com 33%. O Rio Grande do Norte apresenta a melhor situação, registrando nível de 5,4% de atraso. Em números absolutos, São Paulo está com 1,25 milhão de pessoas que tomaram a primeira dose e não voltaram para a segunda. Para tentar reduzir este número, o governo paulista realizou neste sábado, 2, um mutirão de vacinação em todos os postos. O estado do Rio de Janeiro tem 956,9 mil pessoas que não apareceram para a segunda dose e a Bahia, 907,5 mil. Os menores números são em Roraima (21,5 mil), Acre (28,3 mil) e Amapá (31,1 mil).

Com Agência Brasil

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.