Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Taxa de atraso para a segunda dose da vacina anti-Covid no Brasil é de 11%

O Ceará é o estado com maior índice de pessoas que não apareceram para receber a segunda injeção: 33%. O Rio Grande do Norte apresenta a menor taxa, de 5%

Por Cilene Pereira
2 out 2021, 19h57

A taxa de atraso vacinal em relação à segunda dose em todo o Brasil é de 11%, segundo o novo boletim VigiVac, produzido pela Fundação Oswaldo Cruz. No caso da vacina da AstraZeneca, o atraso é de 15%. Em relação ao imunizante CoronaVac, o índice é de 33% e, no que diz respeito à vacina da Pfizer, de 1%. Foi considerada uma situação de atraso quando o indivíduo não aparece para receber a segunda dose depois de 14 dias da data prevista. Para a AstraZeneca e a Pfizer, foram considerados 84 dias de intervalo para a segunda dose. No caso da CoronaVac, 28 dias.

Os índices foram calculados com base nos dados de vacinação registrados até 15 de setembro. O estado com a maior taxa de atraso é o Ceará, com 33%. O Rio Grande do Norte apresenta a melhor situação, registrando nível de 5,4% de atraso. Em números absolutos, São Paulo está com 1,25 milhão de pessoas que tomaram a primeira dose e não voltaram para a segunda. Para tentar reduzir este número, o governo paulista realizou neste sábado, 2, um mutirão de vacinação em todos os postos. O estado do Rio de Janeiro tem 956,9 mil pessoas que não apareceram para a segunda dose e a Bahia, 907,5 mil. Os menores números são em Roraima (21,5 mil), Acre (28,3 mil) e Amapá (31,1 mil).

Com Agência Brasil

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.