Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

SP tem seis casos suspeitos de microcefalia relacionados ao zika

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, cinco deles são autóctones

Nesta segunda-feira a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo informou que estão sendo investigados seis casos de microcefalia em recém-nascidos possivelmente relacionados ao zika vírus.

Os bebês nasceram nas cidades de Campinas, Guarulhos, Mogi-Guaçu, Ribeirão Preto, São Paulo e Sumaré. No caso da capital paulista, a mãe viajou para o Nordeste, mas nos demais a suspeita é de infecção autóctone.

De acordo com a secretaria, as mães de todos os bebês apresentaram sintomas de infeção por zika (manchas avermelhadas pelo corpo) durante a gestação e tiveram exames negativos para rubéola, toxoplasmose, sífilis, herpes e citomegalovírus – outras possíveis causas da microcefalia.

Em quatro dos seis casos os resultados de tomografia computadorizada mostraram calcificação no cérebro dos bebês, condição já relacionada à infecção pelo zika.

Leia também:

SP notifica suspeita de microcefalia por zika

Casos de microcefalia sobem para 1.761 no Brasil

Ainda de acordo com o comunicado, a secretaria tem realizado testes com o objetivo de identificar o genoma do zika vírus em amostras negativas para dengue por meio da rede de laboratórios do Instituto Adolfo Lutz. Mas, até o momento, nenhum deu positivo para zika.

De 17 de novembro até 10 de dezembro foram notificados 46 casos de microcefalia no estado.

(Da redação)