Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

SP inclui pessoas de 60 a 64 anos na vacinação contra Covid-19

Imunização de idosos de 63 e 64 anos começa em 29 de abril; já para aqueles de 60 a 62 anos, início é em 6 de maio

Por Giulia Vidale Atualizado em 15 abr 2021, 12h04 - Publicado em 14 abr 2021, 13h08

O estado de São Paulo incluiu idosos de 60 a 64 anos nas próximas etapas da campanha de imunização contra a Covid-19. Essa faixa etária é composta por 2,2 milhões de pessoas. O governador João Doria anunciou nesta quarta-feira, 14, que a imunização das pessoas de 63 e 64 anos irá começar no dia 29 de abril. Para o próximo grupo, composto por pessoas de 60, 61 e 62 anos, o início será uma semana depois, a partir de 6 de maio.

A maior parte deste grupo será imunizada com a vacina de Oxford-Astrazeneca, produzida pela Fiocruz. “As pessoas destas faixas etárias estarão sendo vacinadas majoritariamente com a vacina da Fiocruz. Mas também com a vacina do Butantan”, disse Doria.

LEIA TAMBÉM: Síndrome pós-Covid: como detectar e tratar os sintomas mais persistentes

Atualmente, podem se vacinar contra a Covid-19 no estado de São Paulo pessoas a partir de 67 anos de idade, profissionais de segurança pública e da educação. Na próxima quarta-feira, 21 de abril, começa a imuniza de idosos de 65 e 66 anos.

Embora não seja obrigatório, o governo de São Paulo incentiva a realização do pré-cadastro pelo portal Vacina Já ou pelo WhatsApp através do número (11) 95220-2923. O registro agiliza o tempo de de atendimento em cerca de 90% e evita aglomerações.

Na manhã desta quarta-feira, 14, o Instituto Butantan liberou mais 1 milhão de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde. Desde o início do ano, o instituto já entregou 40,7 milhões de vacinas ao Programa Nacional de Imunizações. Nesta quarta, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, confirmou a chegada de um novo lote de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) da China, suficiente para a produção de mais 5 milhões de doses da vacina contra Covid-19.

Cenário da pandemia no estado

Segundo o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, as medidas instituídas nas fases vermelha e emergencial surtiram efeito e a pandemia começa a melhorar em São Paulo. “Diminuímos as taxas de ocupação nas unidades de terapia de todo o estado para 86,4% e na grande São Paulo para 84,9%.”,  afirmou Gorinchteyn. Em 1º de abril, há apenas 14 dias, a taxa de ocupação era de 92,6%, com 13.120 pacientes internados em unidades de terapia intensiva em todo o estado. Atualmente, são 11.798 pacientes.

Até esta quarta-feira, 14, 2.686.031 casos de Covid-19 e 8.5475 óbitos foram confirmados no estado de São Paulo. Na semana passada, houve um aumento de 5% no número de novos casos e de 13% no de mortes pelo coronavírus, em comparação com a semana anterior. Por outro lado, a taxa de internação caiu 17,4%. “A taxa de ocupação de pacientes reflete exatamente um controle da pandemia ainda maior”, ressalta o secretário da Saúde.

Sobre o aumento de óbitos, Gorinchteyn ressaltou que esse dado reflete casos de Covid-19 que foram diagnosticados há cerca 1 mês. “Esses óbitos não configuram o momento atual da dinâmica da epidemia no nosso estado”, disse o secretário.

Continua após a publicidade
Publicidade