Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

SP anuncia maior abertura da economia desde início da pandemia

Eventos sociais, feiras corporativas e reabertura de museus estão permitidos; uso de máscara e distanciamento permanecem obrigatórios

Por Giulia Vidale 17 ago 2021, 15h01

O governo de São Paulo libera nesta terça-feira, 17, a maior abertura das atividades econômicas desde o início da pandemia e da quarentena, em março do ano passado. Na nova fase estão permitidos a realização de eventos sociais, feiras corporativas e reabertura de museus. Todas essas atividades estavam proibidas desde o início da pandemia de Covid-19 no estado, onde foi identificado o primeiro caso da doença no Brasil, em fevereiro de 2020.

Para os setores de comércio e serviços, não há mais limitação de público ou de horário de funcionamento. No entanto, em todas essas atividades, incluindo feiras e eventos, a liberação segue condicionada ao distanciamento social e ao uso obrigatório de máscara.

Eventos que provoquem aglomeração, como shows com público em pé, casas noturnas e competições esportivas com público, continuam proibidos no estado. A previsão para liberação destas atividades é novembro, quando governo estadual espera que pelo menos 90% dos adultos tenham concluído o esquema vacinal contra a Covid-19.

A partir daí, o governo espera liberar todos esses eventos, desde que continue havendo controle de público. “A partir de 1º de novembro será permitido eventos com controle de público, mas que possam ter pessoas em pé e pistas de dança. Lembrando que o distanciamento e o uso de máscara continuam obrigatórios”, disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen.

Mesmo se houver a liberação total em novembro, o uso de máscaras permanecerá obrigatório. “O uso de máscara será continuamente obrigatório até o final desse ano”, disse o governador João Doria nesta terça, que citou a variante Delta para a manutenção da medida preventiva por mais tempo.

Avanço da vacinação e melhora dos índices

Até segunda-feira, 16, o estado de São Paulo já aplicou 44,4 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. O estado tem a maior taxa de imunizados com ao menos uma dose: 68,2%. Destes, 28,6% completaram o esquema de imunização com duas doses ou com a injeção única da Janssen. Se considerarmos apenas a população adulta, 92,66% da população já recebeu ao menos uma dose, segundo dados do governo estadual. A previsão do Plano Estadual de Imunizações é iniciar a imunização de adolescentes de 12 a 17 anos na quarta-feira, 18.

A decisão de liberar as atividades econômicas foi motivada pela melhora nos índices da pandemia. Há algumas semanas, São Paulo registra queda constante e expressiva no número de óbitos e de internações pela Covid-19, graças ao avanço da vacinação. No entanto, isso não significa que a pandemia esteja controlada.

Na semana passada, o estado voltou a apresentar um crescimento no número de casos. Além disso, a variante Delta, identificada pela primeira vez na Índia, começa a se espalhar, e gera temor por sua alta taxa de contaminação e possibilidade de infectar até mesmo pessoas imunizadas. Aquelas que estão parcialmente vacinadas, o que corresponde à maior parte da população neste momento, são as que correm maior risco.

Com Agência Brasil

Continua após a publicidade

Publicidade